Lei sobre criação e venda de animais divide opiniões

Os criadores de cães de Curitiba são contra a lei municipal que estabelece regras mais rígidas para a criação e venda de animais. O projeto foi aprovado no final do ano passado pela Câmara Municipal com o objetivo de proteger os cães de maus tratos. Ele determina, por exemplo, que os locais que comercializam animais devem estar com as liberações em dia e que a venda ou doação de animais só pode ser feita com os bichinhos devidamente microchipados. AveterináriaLuciana Helena Bonancio diz que foi criado um novo problema, ao invés de solucionar a questão dos cães abandonados.

09.13 – LEIS CAES 1

Já a Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba é a favor da lei. De acordo com a presidente Soraia Simon, a medida só traz benefícios aos cães.

O valor das  multas para quem desrespeitar as determinações varia de 200 reais a até 200 mil reais.

Comments

  1. Chega_de_crueldade says:

    Até que fim alguma lei que proteja os animais.
    Estamos fartos de pessoas gananciosas que ganham a vida explorando animais.
    Vendem filhotes de 45 dias e até de 30 dias, exploram as femeas fazendo-as cruzar mais de uma vez por ano e outros tipos de crueldade.
    É lógico que as raças de cachorros não irão se extinguir, porque sempre haverão criadores que ao invés de construir imensos canis onde os cães só são manuseados na hora de cruzar, esses bons criadores mantem os seus cães dentro de casa, bem socializados, em ambiente limpo e adequado para o cão viver.

    Dá pra ter uma idéia de como representantes deste comércio ultrapassam os limites éticos quando chegam a fazer ameaça pessoal quando alguém vai contra suas práticas.

    • JOSÉ SCHWEIDSON FILHO says:

      ESTA LEI NÃO PROTEGE NADA . A unica lei que protegerá um animalzinho é a lei de POSSE RESPONSAVEL Cada proprietário tem por obrigação de proteger seu filhote. ai sim acabará esta bagunça.
      é como a lei de porte de arma cada um cuida da sua arma, se perder ele vai responder pela perda.

  2. JOANA says:

    Pois é..e tudo muito bonito, tudo muito lindo..mas a verdade é a seguinte..QUEM QUER UM CAO DE RAÇA PEQUENA, NAO VAI ADOTAR UM QUE NAO SABE NEM O QUE É, QUANTO MAIS O TAMANHO QUE VAI FICAR..OUTRA COISA..ESSA LEI, ELES VAO..PEGAO OS CAES DE RAÇA QUE OS CRIADORES TEM E LEVAO PRA ALGUM LUGAR APOS A CASTRAÇAO..PELO MENOS É O QUE DIZEM, NAO PODE TER UMA CERTA QUANTIDADE DE CAES EM CADA CASA..MAS PORQUE NAO VAO ONDE TEM MAIS DE 50 VIRALATAS E LEVAO PARA O MESMO LUGAR E CASTRAM TBM PARA FUTURAS ADOÇOES??? PORQUE NAO TIRAM CAES DAS RUAS PARA ADOÇAO??? VAO ACHAR O QUE FAZER E DEIXA O POVO TRABALHAR, QUEM QUER ADOTAR SABE ONDE IR, QUEM QUER COMPRAR..COMPRA…E VOCES PROTETORES VAO ACHAR O QUE FAZER, QUE DE UMA SOLUÇAO PARA O PROBLEMA E NAO FICAR COLOCANDO CULPA ONDE NAO TEM….OU VOCES ACHAO BULLDOGS, YORKS, SHIH-TZU TODOS DIAS ABANDONADOS NAS RUAS???QUE TAL FAZER TRICO PRA VENDER PARA OS PETS PARA QUEM QUER COLOCAR NO SEUS PETS..SERIA UMA OTIMA PRA AJUDAR A COMPRAR RAÇAO PARA OS COITADINHOS ABANDONADOS, EU ADORO ANIMAIS, MAS NAO SUPORTO VER HIPOCRISIA.

    • Joana, acho que vc poderia primeiro conhecer o trabalho dos protetores para depois criticar. Eles recolhem tanto cães e gatos das ruas quanto descartes de criadores. São todos castrados e encaminhados para adoção, sendo que eles fazem tudo com recursos próprios e não lucram nada com isso, ao contrário dos criadores que só visam dinheiro. Protetores gostam de animais, criadores gostam de dinheiro, simples assim! E quem gosta de animais e quer ter um, vai adotar! Quem quer apenas um bibelô para se mostrar, aí sim vai comprar, pois existem SIM para adoção cães de todos os tamanhos e temperamentos, basta procurar.
      Ahhh…e aí é opinião minha, mas animais mantidos por criadores de fundo de quintal são muito mais sofridos do que muitos que estão nas ruas. Claro que a vida nas ruas não é fácil e nem ideal, não deveria existir nenhum animal nas ruas. Mas muitos ainda têm alimentação e um cantinho para se abrigar…têm liberdade de ir e vir…enquanto isso, cães de criação são confinados em gaiolas, em meio à sujeira, nunca recebem carinho, têm medo de gente, muitos nunca vêem a luz do sol. Se vc fosse conhecer um desses locais com certeza pensaria melhor a respeito.

      • Ana paula says:

        Não é bem assim não ! Tenho uma criação de cães de raça na minha casa e todos dormem na cama comigo e com meus filhos, diferente daqueles canis onde os coitadinhos ficam presos em canis q parecem uma jaula.Veja bem ,um Yorkshire sempre foi cão de colo desde muitos séculos atrás e hj estão ficando presos em canis e vejo q a maioria desses yorkies são muito tristes diferente de muitos q são criados soltos no quintal ou dentro de casa.
        Uma coisa q não concordo q muitos criadores estão fazendo é fazer cruzamento entre Yorkshires muito pequenos , abaixo do padrão .Uma cadelinha muito pequena não consegue dar cria naturalmente e sempre corre risco de vida na cesária,mas muitos criadores não se importam com a vida delas.
        Gostaria de uma lei q fosse obrigatória a castração de cadelas muito pequenas para q não ponham a vida dela em risco p obterem filhotes minúsculos.

      • JOSÉ SCHWEIDSON FILHO says:

        Gerusa vc também deveria conhecer o trabalho de alguns criadores, Não misture as bolas. Se os protetores recolhem descartes de criadores, ele deveriam denunciar estes maus criadores. ( acho ilógico, diante do seu argumento que é uma mercadoria com valor para eles, )
        Acho que o intuito de todos é o bem estar de cada animalzinho vendido ou doado.e quem é o responsável por este bem estar? Quando o filhote é entregue sãoOS PROPRIETARIOS que devem ser responsabilizados por qualquer coisa que por ventura ocorra com aquele determinado animalzinho.
        Acho que esta lei foi muito mal elaborado por gente despreparada e mal assessorada.
        acho QUE OS ÂNIMOS ESTÃO MUITO A FLOR DA PELE E QUE TODOS DEVEM SE UNIR PARA CHEGAR EM UM CONSENSO.

      • Ernest says:

        e o mundo é cor-de-rosa e os maus serão punidos e os cachorrinhos serão salvos dos homens maus… acho que você não passa nas mesmas ruas que eu… vira-latas aos montes e ninguém cuida e vão se preocupar inclusive com que cria eventualmente… como disse a moça ali em cima: vão procurar o que fazer.

      • Mirian says:

        Querida, vc está coberta de razão. As pessoas q vendem, só querem saber de lucros.

  3. Jose Mesianite says:

    Criação e Comércio de Animais = EXPLORAÇÃO
    vida curta aos criadores, os animais de rua são o subproduto de seu comercio exploratório. A favor do IMPOSTO 150% sobre o “valor” do animal! destinados inteiramente a abrigos para animais abandonados!

    • Jose FILHO says:

      se vc quer acabar com os criadores não precisa deste imposto basta ter a posse responsável.Isto acaba com a subproduto do comercio exploratório.
      o que é feito com o subproduto exploratório dos abrigos Dos animais que ficam amontoados e cruzam entre si?/ alguém pode me informar

  4. Ana Claudia says:

    Olha… acho que não entendi nada. A lei é para evitar que os animais sejam abandonados nas ruas, maltratados, etc. Então, porque os animais de raça serão castrados? Eu nunca vi um gato ou cão de raça vagando pelas ruas. Pelo contrário… eles costumam ser furtados! Então, a qual tipo de interesse esta lei está servindo?

  5. Renato says:

    Como fala o nome, ONG, Organização Não Governamental, não tem autoridade nenhuma, são pessoas desocupadas querendo se ocupar de alguma maneira. Sou a favor que haja fiscalização do Governo e não de pessoas desocupadas sem conhecimento, despreparadas ou seja lá o que. Criadores/Profissionais, usem a mesma moeda, façam uma reportagem nestes Órgãos não Governamentais, e Filmem e Denunciem também este excesso de cães e proliferação de doenças, Filmem e liguem também no 156 denunciando e cobrem o fechamento e multas também. Já ví vários e na maioria uma sugeira e animais desnutridos sofrendo, também uma crueldade. Falta uma posição do governo, isso é problema do Governo e não de Desocupados

  6. Analu Costa says:

    Concordo plenamente com o que voce diz,em todas as situações tem “honestos ” e “desonestos”,e acho que Todos tem direitos iguais.Ninguem é tão perfeito que possa julgar os outros e não se pode generalizar.O que realmente DEVE ser feito, é um trabalho da prefeitura juntamente com os alunos do curso de veterinária das faculdades existentes,percorrendo uma vez por semana todos os bairros,chamando os devidos proprietários em uma unidade móvel e CASTRANDO os machos,é uma cirurgia super simples que não requer maiores cuidados antes, durante e depois.Ninguem é culpado por uma situação onde o POVO é mal educado e irresponsável.

  7. Hitsugaya Taichou says:

    Nazir, pare de chamar os outros de ignorante. Quem você pensa que é? Estamos todos de alguma forma lutando pelos animais sim! E Luiz Augusto, não critique jamais a Sociedade Protetora dos Animais. Você não pode simplesmente sair xingando todo mundo, botando defeito em tudo só porque quer continuar ganhando dinheiro com venda de animais. Pare com isso!

    • Hitsugaya Taichou, acredito que você não me conhece. Inicialmente, a crítica é um direito de todos, inclusive meu, que sou FISCAL DA SOCIEDADE PROTETORA, há mais de 20 anos, e conheço a estrutura por dentro. Não saí xingando ninguém, nenhum comentário meu tem este tipo de ofensa, diferentemente dos seus. Além de criador, sou comportamentalista, consultor empresarial, consultor cinotécnico, entre outras coisas, ou seja, não dependo da criação para viver. Alerto a você e a todos que têm ofendido e destratado os criadores, de forma linear, estão cometendo ofensas e crime de preconceito, ambos passíveis de punição pela lei, uma vez que seus dados estão registrados no site em que estamos. Como você afirmou, a natureza é perfeita. Nela, pais e filhos acasalam, irmãos acasalam, animais com qualquer grau de parentesco acasalam, sem a interferência dos humanos, e tudo segue normal. Portanto, antes de ofender e se achar, informe-se melhor, para receber o mesmo tipo de respeito.

  8. O Movimento SOSBICHO de Proteção Animal é favorável à lei e defende que devemos avançar mais: devemos proibir o comércio e animais na nossa Cidade, como forma de mostrar que somos avançados do ponto de vista ético, já que vidas não devem ser objeto de transações comerciais. Quanto à criação comercial, isto já é proibido, uma vez que o Código Estadual de Saúde já define que só é permitida a criação e animais em área rual e Curitiba, não tem mais área rural. Quanto à necessidade de que sejam identificados, esterilizados, etc, estas são medidas para o controle da população e de identificar os responsáveis, para que estes assumam efetivamente os cuidados dos seus animais. E defendemos que, se os animais são vendidos, que sejam esterilizados antes, conforme acontece no Município de São Paulo.
    Claro que quem vive da venda de animais vai gritar: seguir estas regras previstas na lei, diminui seu lucro e vendedor de animais não faz isto por amor, faz para ganhar dinheiro.

    • Andreas Hasenack says:

      “Vidas não devem ser objeto de transações comerciais” é muito vago.

      Um cão guia de cego custa até R$ 30.000,00 para ser treinado (fonte: http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,EMI312259-18071,00-CAO+GUIA+CUSTA+ATE+R+MIL+E+BRASIL+IMPORTA+PARA+SUPRIR+DEMANDA.html). Isso paga comida, treinamento, e muitas vezes importação. Raças mais adaptadas para isso são golden retriever e labrador. Quem vai criá-los?

      Cães border collie ajudam fazendeiros a cuidar do rebanho. Quem vai treinar e criar os border collie? Ou um pinscher de 1kg encontrado no Cabral vai tocar um boi de 500kg?

      Cães farejadores ajudam a encontrar vítimas sob escombros. Será que um shitzu consegue fazer isso da mesma forma que um labrador?

      Cães farejadores pesquisam centenas de malas de passageiros (e pessoas também) de forma discreta e não invasiva. Já vi Beagles e Labradores fazendo isso nos Estados Unidos e na Europa e já fui farejado pessoalmente por eles. Animais super concentrados e bem cuidados.

      Cães policiais ajudam a conter suspeitos. Se bem que a PM daqui preferiria atirar primeiro, mas isso é outra história.

      Cães dos mais diversos (SRD incluídos) ajudam a saúde de pessoas em hospitais (vide o trabalho do INATTA (http://www.inataa.org.br/). Normalmente preferem cães grandes, acho que são mais fáceis de abraçar :)

      Por fim, nem todas as pessoas são vegetarianas, então sempre vai haver o comércio de bois, frangos, leite, etc., mas acho que isso já foge um pouco demais do assunto discutido aqui.

      Será que cães SRD (abandonados ou não) podem suprir todas essas necessidades? Alguns podem, certamente entre os SRD existem os com habilidades acima da média. Outros certamente não, até por uma mera questão de porte físico.

      Quer queiramos ou não, os seres humanos adaptaram os animais às suas necessidades. Isso está feito. Já temos raças específicas há séculos que nos ajudam nas mais diversas tarefas. Abandonar essas raças em prol dos SRD não parece um objetivo bom para alguém que se chama “protetor dos animais”, e não deixa de ser uma discriminação por si só. Da mesma forma que só se focar nos “de raça” em detrimento dos SRD também está errado.

      Entendo seu desespero com relação aos animais abandonados. A situação está tão crítica que qualquer coisa que sugira “procriação” dispara um alerta vermelho bem grande para você. A última vez que vi, a SPAC dizia ter 800 animais no seu abrigo e estava de mudança para Colombo até para poder ter um local melhor.

      Eu concordo com você sobre a microchipagem e castração. Minha opinião é: de criador para não-criador, só castrado. De criador para criador, pode ser “inteiro”. E claro que criadores devem ser sujeitos à inspeção. Onde “criador” é algo a ser definido e regulamentado corretamente, e a transferência/venda é com contrato (como criadores sérios já fazem). E com o chip se pode rastrear quem foi o irresponsável na história se o animal for abandonado.

      Isso não vai ajudar a diminuir o problema dos animais abandonados? Ou ainda é necessário parar com toda e qualquer criação?

      • JANAINA says:

        PROCURE SE INFORMAR COM OS CÃES QUE NÃO SÃO ADOTADOS NA TAL FEIRA DE CURITIBA ,ELES SÃO EXTERMINADOS …PROCURE UM PROTETOR QUE TRABALHA NESTAS “FEIRAS ” E SE ORIENTE ….

    • JANAINA says:

      E OS CAES QUE NÃO SÃO DOADOS E QUE FORAM EXTERMINADOS???MONSTROSSSSS VÃO SE PREOCUPAR COM OS CÃES DE RUA QUE MORREM DE FOME E SEDE E DEPOIS Q A CASA ESTIVER EM ORDEM PARTAM PARA OS QUE POSSUEM COMIDA E ABRIGO….MONSTROSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

      • Patricia says:

        Desde 2005 é PROIBIDO a morte de animais pelo município de Curitiba e já não existe mais a carrocinha. Procure se informar antes de falar besteira.

    • Mirian says:

      Engano seu, meu querido, aki em SP n acontece isso n. Vende se o animal sem ser castrado e em condições deploráveis. N há quem fiscalize.

  9. Marisa Gusso says:

    Pensando bem, acho que não se deve mais reproduzir nenhum tipo de animal mesmo, não só em Curitiba, vamos estender essa lei a nível nacional, e quem sabe o mundo todo siga o nosso exemplo, e digo mais vamos proibir a criação de todo e qualquer tipo de animal, inclusive bois, galinhas porcos… coitados, eles não merecem nascer ja com um destino tão fatídico, servir de alimento a essa raça tão inescrupulosa que somos nós o tais seres humanos, alias, nós deveríamos encabeçar essa lista de proibição à reprodução, porque é a especie mais populosa, não vejo a necessidade dos casais terem seus próprios filhos, tendo tantos crianças abandonados no mundo esperando por adoção! Meus caros a vida não esta fácil, é muita violência, desamor, intolerância, onde ainda achamos pureza são nas crianças e nos animais, quando vejo noticiários sobre extremistas religiosos ou políticos fico perplexa, fico pensando como a intolerância é cega é burra, lendo com tristeza esses depoimentos vejo que não estamos longe disso,é lamentável !

  10. Andreas Hasenack says:

    O pessoal que é contra a criação, deixa eu perguntar uma coisa: vocês são a favor da extinção de espécies? O que vai acontecer com os Golden Retrievers, os Beagles, os Pastores e Dogues Alemães, os Labradores, os São Bernardos se toda e qualquer criação for proibida? E os gatos Maine Coon? Ou Ragdoll? Persa?
    Vocês estão super preocupados, e com razão, com a população dos cães (e gatos) de rua. Mas estão tão desesperados que atiram pra todo o lado e não conseguem separar as coisas. A posse responsável é a chave. E quem sabe a punição da posse irresponsável também, algo que a SPAC tem feito bastante. Aí que entra o microchip e o rastreamento/paternidade.
    A criação tem que ser regulamentada. Simplesmente proibir é a “solução fácil”, barata, fraca.
    Se eu quiser um Bernese, isso me transforma numa pessoa má só por que tem um Beagle para ser adotado? E a pessoa que abandonou esse Beagle é o que então? Ou será que ele fugiu numa noite de jogo idiota de futebol, com aqueles fogos estúpidos estourando por todo lado, e a dona está desesperada atrás dele, se lamentando por não ter colocado plaquinha de identificação?
    Cães são uma das poucas espécies (e me perdoem se não usar os termos técnicos corretos: sou engenheiro, não veterinário ou biólogo) que possuem essa diversidade enorme de raças. Temos cães de 1kg e cães de 90kg, e um monte entre esses dois. E as diferenças não são somenteo no aspecto físico: temperamento e comportamento são bem diferentes também. Compare um Beagle com um Border Collie. Dizer que todos os cães são iguais e com o mesmo comportamento não é verdade.
    Os cães não vivem sem os seres humanos. Cabe a nós decidirmos como lidar com o problema. A solução que surgiu nessa lei, proibindo a criação, é um jeito engraçado de resolver isso: “tem muitos de vocês por aí. Portanto, a partir de agora, proibimos a criação desses outros.” O prefeito deve ter achado mais barato assim. Enquanto isso o abandono continua.

    • Hitsugaya Taichou says:

      A natureza se responsabiliza por tudo. A natureza é perfeita. Nós não temos o direito de interferir na vida dos animais por puro capricho nosso. Entendo seu argumento, mas não é como se por exemplo, não ter alguém que crie determinada raça, ela irá desaparecer do mapa. O mundo é muito grande. Os animais são perfeitos. Não interferimos na vida selvagem como interferimos nas dos cães e gatos, e nem por isso os animais selvagens deixam de continuar a perpetuar suas espécies e viver em hamonia com seus semelhantes. Os animais são inteligentes, não os subestimemos! O ser humano é que destrói o planeta e acaba com as espécies matando e caçando ou interferindo na geografia da natureza. Pense nisso!

    • Lorenza Feitosa says:

      Por mim podem acabar com todas as raças,mas não é isto que a lei prevê,os criadores estão preocupados com os custos para se encaixarem na lei ou estão preocupados que serão criminosos,acho que eles não sabem o que é uma lei administrava.

    • JANAINA says:

      SOUBE QUE OS CÃES QUE NÃO FORAM DOADOS NA TAL FEIRA DA PREFEITURA SÃO EXTERMINADOS ….VAMOS FAZER UM PROTESTO….O QUE É ISSO????

    • CONCORDO PLENAMENTE, ANDREAS.

  11. Hitsugaya Taichou says:

    Inclusive o Kennel Club tinha que deixar de existir. Chega de segregação! Todos os animais têm direitos!

  12. Moema Tiburtius says:

    Sou contra o comercio de vidas.” Vira latas são como roupa de grife não tem nenhum iqual ao outro.”Essa frase não é minha mas, é o que eu acho. Adotei do Beco da Esperança uma femea 100% vira lata, ela faz muito sucesso aonde passa. Deveria haver uma lei que proibe o comercio de gatos e cachorros, já tem demais abandonados. A Campanha deveria ser para a adoção. Tenho fé de que ainda chegaremos lá. Bjs á todos que como eu gostam mais de animais do que dos humanos, que de humanos não tem nada.

    • Andreas Hasenack says:

      Moema, se você é contra o “comércio de vidas”, você é contra esta lei, certo? Afinal, ela permite e regulamenta o comércio de animais domésticos em Curitiba.

    • Ernest says:

      animas são semoventes pela lei civil… vida não é passível de comércio… o direito não é sensível a isso, mas o mundo não é cor-de-rosa e muitos animas são empregados para trabalho e outras tarefas. O direito de propriedade é fundamental e protegido pela Constituição Federal. Se para você um animal é igual a uma pessoa, parabéns, mas aquele que o vê como instrumento de trabalho não pode ser lesado.
      Se quiserem apoiar um movimento que resgate crianças das ruas eu dou a maior força… mas pera… criança não tem valor, os pais que cuidem. Se eles não fazem isso o “problema” não é meu.

  13. Lorenza Feitosa says:

    Depois que esta coisa de cinofilia é uma futilidade sem tamanho,exposição de cães,ficar reproduzindo animais por pura vaidade num mundo atolado de animais abandonados.Sim sei como é estar do outro lado.Eu morei muitos anos no Japão,voltei de lá com um casal de pugs os quais eu tinha intenção de cruzar de vez em quando e vender os filhotes,minha intenção durou até eu me deparar com a situação de abandono de animais aqui no Brasil,logo castrei meus pugs e por meu verdadeiro amor por animais me juntei aos protetores,hoje tenho 9 cães em casa e mais 5 quais mantenho em hotel(fora os pugs,todos resgatados),gostaria que os criadores olhassem o mundo a sua volta e se gostam tanto de cães como dizem,deveriam se juntar aos protetores,parar de procriar cachorro por vaidade e salvar cães por amor.

    • Andreas Hasenack says:

      Lorenza, você é contra ou a favor da lei? Note que ela permite e regulamenta o comércio de animais domésticos em Curitiba (caso você não tenha lido).

      • Lorenza Feitosa says:

        Eu sou a favor desta lei,mas gostaria que fosse mais rígida,como se exigisse a castração dos filhotes vendidos,gostaria que fosse proibida qualquer exploração de animais neste país.

      • Andreas, quando você afirmou que o Kennel não condena acasamento entre irmãos você cometeu um engano por desconhecer o regulamento de criação da FCI e da CBKC. O acasalamento entre cães inteiros é proibido sim, inclusive sem punido com a não emissão de pedigree e outras cominações. Acasalamento entre pais e filhas é aceito, entre mães e filhos é condenado. Pense que, na natureza, isto acontece sem distinção. Acasalamentos consanguíneos acontecem, quando em criatórios sérios, para fortalecer determinadas características genéticas, ou para se evitar o fim de uma linha de sangue importante para a raça. Claro que existem “cachorreiros” que não têm esta visão, mas o que se busca é isso.

    • Lorenza Feitosa says:

      Luiz Augusto,vc falou uma besteira sem tamanho ao afirmar que a natureza permite a cruza sem distinção,pode até ser na natureza,mas quero lhe lembrar que esses cães de raça não são naturais,pode ter certeza que a vasta maioria das raças não sobreviveriam na natureza,imagine um yorks,pugs,bulldogs na natureza,na natureza essas cruzas não teriam sobrevivido e só sobrevivem hoje por causa da interferência do homem e algumas dessas raças com sérias tendências a problemas de saúde,para isto que serve a criação de cães de raças,para alimentar a vaidade de pessoas vazias por dentro.

  14. MARISA KANAP says:

    MARCIO, EU JA TIVE ATÉ UM AVIARIO, E SABE O QUE GANHEI CO ISSO….NADA POIS PASSEI DOIS ANOS DA MINHA VIDA DANDO RAÇAO PARA OS POBREZINHOS DE RUA, QUE TODSO OS DIAS ERAM ABANDONADOS NA FRENTE DO MEU PONTO…..EU LIGUEI MUITAS VEZES PRA SALVAR ELES DA RUA…NUNCA FUI ATENDIDA….QUNDO FECHEI TROXE 12 CAES DE RUA PRA MINHA CASA……FIQUEI COM ELES MAIS DE 1 ANO ATE ACHAR A PESSOA ADEQUADA PRA CADA UM…UM QUE TINHA UM GRANDE TUMOR ESTA COMIGO ATE HOJE PORQUE NINGUEM QUIZ…..EU SEMPRE AJUDEI E JA ALIMENTEI MUITOS BICHINHOS….NUNCA VI NELES UM ENTULHO…..A VONTADE QUE TENHO QUANDO OLHO PRA ELES ERA TRAZER TUDO PRA DENTRO , MAS NAO DA….DESCONJURO OS MALDITOS QUE SOLTAM ELES……QUANTO AOS MEUS,TRATO MUITO BEM MESMO….AMO E NAO VIVO SEM ELES….É O MINIMO QUE POSSO FAZER POR QUEM CUIDA DA MINHA CASA E PROTEGE MINHA FAMILIA POIS MORO PERTO DE UMA MAFIA DE BANDIDOS EM UM LUGAR QUE APARECE TODOS OS DIAS NAS NOTICIAS….EU TB SOU CONTRA QUEM TIRA NINHADAS PRA SE APROVEITAR E MALTRATAR OS POBREZINHOS QUE SÃO EXPLORADOS POR AQUELES QUE SE INTITULAM CRIADORES,

    • Perfeita a sua resposta , Marisa. Infelizmente, tenho lido absurdos nos comentários emitidos por pessoas que não conhecem o que é criação séria, e se entitulam “amantes dos animais”, partindo em sua defesa a partir do achismo. A lei, entre outras coisas, fere a verdade e a objetividade. Ela deveria fortalecer entidades como o Kennel Clube e o Conselho Regional de Medicina Veterinária, dando-lhes ferramentas mais eficientes de normatização e punição. Existem produtores de cães que abandonam, sim, mas não são a maioria. E, perceba, a verdadeira culpa dos abandonos é da população como um todo. Esta lei não prevê punição para o proprietário que abandona, mas pune linearmente os criadores, sem distinção de qualidade. E as protetoras, em sua maioria, reforço, gostam de posar de generosas, recolhendo das ruas os animais, levando em veterinários e buscando hotéis para instalar estes animais, mas não levam para suas casas (algumas levam, sim). Ontem mesmo fomos procurados por uma senhora (Milena, que ligou do trabalho, pois não quiz gastar seu celular, querendo que alojássemos um cão recolhido das ruas, mas queria um valor acessível de diária, pois “ela estava fazendo uma caridade”). Bonito, né? Fazendo reverência com chapéu alheio. Está na hora de acabar com a hipocrisia, da união ser feita entre ONGs, SPA, Kennel, CRMV e a sociedade, mas com cultura, respeito e bom senso.

      • Andreas Hasenack says:

        Luiz, o kennel clube também não é nenhum “santo”. Por exemplo, não condena a prática de acasalar pai e filha, ou irmãos. O que para o clube é um aperfeiçoamento da raça, para um veterinário pode significar problemas de saúde. O CRMV precisa botar a mão nisso.

  15. Uma Lei que PROÍBE a criação de animais dentro de um município é uma Lei que viola um Direito Fundamental, pois o trabalho e a livre iniciativa são direitos garantidos pela nossa Constituição. Qual é a diferença de criar animais de raça e animais sem raça? Tenho Canil, não moro em Curitiba, crio cães de raças e quando posso ajudo animais de rua, tem 10 cães na minha rua que alimento com ração que compro gerada com a receita da criação de cães de raça e nem por isso sou uma criminosa como vem sendo tratados os criadores. Aliás qual é o problema??
    Em relação aos voluntários, 10% por cento deles são sérios, o restante realmente são muitos estelionatários (ai sim criminosos) pedindo dinheiro nas redes sociais para ajudar cães que as vezes nem existem!!!!
    Assim como na criação, no voluntariado tem pessoas sérias e pessoas desonestas!!!

  16. Eu queria saber que mundo esses criadores vivem?

    Todos os dias são abandonados muitos caes, inclusive de raças, de todas as raças, labradores, lhasas, rots,poodles etc.

    A pessoas compram pra satisfazer o capricho de filhinhos mimados ou porque o cão tá na moda que viram em tal filme, na hora que verem que o bichinho dá trabalho ou que crescem, abandonam e muitas vezes se mudam e deixam o cão a própria sorte.

    Se os criadores dizem que amam tanto a raça, que fazem por amor, então porque por amor a eles,não se responsabilizam pelos caes que vendem, cade o “amor pela raça nessas horas” ?

    O amor que eles tanto dizem, é pelo dinheiro que vem fácil

    • Andreas Hasenack says:

      Criador sério vende o animal com um contrato.
      Entre outras cláusulas, diz que se o comprador não quiser mais o animal (mesmo adulto), deve devolvê-lo para o criador, mas obviamente sem ganhar o dinheiro de volta. O criador então trata de achar um lar para o animal, através de doação. Eu conheço criadores assim. E não vejo por que essa prática não pode ser regulamentada dessa forma.
      O animal também deve ser microchipado, para caso seja perdido e encontrado na rua, o dono possa ser rastreado e a) ter o animal devolvido; ou b) ser punido por abandono.
      Por fim, também acho que criador só deveria vender animal “inteiro” (não castrado) se for para outro criador. Para pessoas “comuns”, que querem um “pet”, deve ser castrado.

  17. Me tirem uma dúvida.

    Um pet shop que possui todas as condições exigidas na lei (cnpj, alvará de localização, etc) PODE comercializar animais em Curitiba, certo? Ou seja, teoricamente as condições de bem-estar foram “garantidas” antes do filhote ser vendido. E depois? Existem muitos criadores que selecionam os compradores de seus cães, mas isso não vai acontecer em um pet shop. E eu concordo que não é uma maioria (nem sequer metade) dos criadores que faz isso, mas a lei prejudica o trabalho de quem quer fazer direito.
    E ainda pior, um vendedor de pet shop não saberá dar informações em relação a esse filhote, seus ancestrais, temperamento típico da raça e outras informações. Ou seja, o comprador impulsivo continua comprando (e abandonando ou doando).

    O problema da lei é que ela se baseia em esteriótipos. Se você pega um problema complexo e tenta dar a primeira solução que vem a sua cabeça, deixo a dica: não vai dar certo. Criar animais não é simples e garantir que eles sejam bem tratados, menos ainda. Mas acreditar que uma lei dessas pode garantir qualquer tipo de bem-estar é difícil. Ainda mais considerando que ela quer AFASTAR a venda do animal do criador e passa-la para um estabelecimento comercial que não tem qualquer conhecimento ou comprometimento(!!!) com a origem daquele animal. Eu já vi vários criadores negarem a venda de seus cães, mas eu nunca vi NENHUM vendedor de pet shop negar venda. Assim também, um criador que vende cães doentes ou não se responsabiliza pela saúde do filhote, por exemplo, não será recomendado para outros clientes. Um pet shop tem animais de tantas origens que não pode ser responsabilizado por esse tipo de coisa.

    • Andreas Hasenack says:

      Sim, a petshop vai poder vender, e também duvido que vá selecionar os compradores ou saber o perfil do filhote (pais, temperamento, etc). Passa o cartão na cielo e pronto. É um serviço pior que o oferecido por um criador bom. O que algumas pets provavelmente vão fazer é oferecer o local para o criador ir lá vender, tipo uma feira, como o Honjo faz (fazia?).
      A diferença é que vai se ter rastreamento. O animal vai estar microchipado e o comprador vai estar registrado na prefeitura como o dono (naquele site protecaoanimal). A transferência de criador para dono vai estar registrada.
      Claro, nada vai impedir o dono de abandonar o animal, ou mesmo revendê-lo. Mas o ato não vai estar registrado, e ele ainda vai constar como o dono original, respondendo pelo animal. Essa é a teoria pelo menos.
      Eu já dei minha opinião em outro local nessa página. Acho que a criação também deveria ser regulamentada, assim como o comércio acabou de ser.

      E acho que tem muita gente aqui nesse fórum dizendo que é a favor da lei sem se dar conta que ela PERMITE e REGULAMENTA o comércio de animais domésticos em Curitiba. Até a SPAC é a favor da lei como ela está redigida (veja lá em cima na notícia).

  18. Andreas Hasenack says:

    Estou achando que muita gente aqui não leu a lei:
    a) Ela proíbe a “criação comercial de animais” (sic) no município de Curitiba. Ponto. Não tem “se” ou “exceções” ou parágrafos adicionais. É isso.
    b) Ela estabelece várias regras para a “comercialização de animais de estimação” (sic) no município de Curitiba.

    Aliás, reparei que não tem um link para a lei por aqui. Aqui vai um:

    http://www.adotebicho.com.br/artigos/45-adocao-animais/183-leicomerciocuritiba

  19. Márcia Cristina says:

    Sou totalmente contra o enriquecimento com a venda desses pobres animais……..São criaturinhas indefesas e que tem os mesmos direitos que nós “seres humanos”……Muitos desses animais comprados hj,amanhã estarão na rua tbm……..E sou a favor tbm da castração…..Parabéns a todos vcs do SPAC……….Aqui vai o meu apoio e a minha repugnância e esses “criadores” sejam eles clandestinos ou não !!

    • Andreas Hasenack says:

      Márcia, você é a favor ou contra a lei? Note que ela permite o comércio de animais domésticos em Curitiba. A SPAC é a favor, a propósito (está escrito lá em cima na notícia).

  20. Andreas Hasenack says:

    Acho que precisa de um alvará sim, para atestar que o local está dentro das regras. Taxista tem alvará, e não precisa de cnpj. Troque “cpnj” no que falei por “identificação” então, não quis dizer necessariamente empresa. Claro que vai ter toda uma burocracia por trás disso, taxas, etc.

    Enfim, era um ponto a discutir, mas o tempo para isso já passou. A lei está em vigor e agora “já era”.

  21. Sibele Paulino says:

    Faço minhas as palavras de Soraya, presidente da Sociedade Protetora dos Animais:
    “A lei que disciplina a criação e comercialização de animais no m…
    unicípio de Curitiba foi baseada em uma das medidas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para controle de zoonoses e vetores (populacional), além de outras medidas como a conscientização da população quanto a guarda responsável, castração e registro geral animal.
    Criadores que se preocupam com a segurança e bem estar dos animais, e não os tratam somente como mercadoria, devem apoiar esta lei e não ser contra ela, pois sua aplicação só trará benefícios para os animais e toda a sociedade.
    Não temos conhecimento de criadores que auxiliam organizações não governamentais e não é prática das organizações, muito menos intenção, realizar parceria para receber este tipo de ajuda, pois seria no mínimo incoerente. As organizações trabalham para encaminhar animais com e sem raça definida que hoje são mantidos em locais super lotados, sendo que HÁ MAIS ANIMAIS DO QUE LARES PARA ACOLHÊ-LOS. Todas as organizações trabalham com dificuldade e mesmo assim, recuperam e castram os animais para adoção há muitos anos, pois entendem a necessidade e importância deste procedimento para a proteção dos animais.
    Hoje há vários animais de raça que dependem de voluntários independentes e organizações não governamentais para sua recuperação e sobrevivência, sendo que muitos vieram diretamente de criadores irresponsáveis e inescrupulosos que tratavam os animais como mercadoria e os descartaram assim que não tinham condições mais para procriar, como cadelas com infecção de útero, tumor de mama, algumas com fetos mortos ainda em seu ventre. Temos inclusive registro na delegacia de polícia de casos onde criadores mantinham animais nestas condições e tentaram justificar a negligência por não terem condições para lhe oferecerem tratamento veterinário!
    Nós que trabalhamos em prol dos animais somos contra sua comercialização, incentivamos a adoção de animais de estimação e recomendamos que se alguém realmente queira adquirir um animal, vá conhecer o local onde são criados e como seus pais são tratados, para que não sustente uma prática cruel e criminosa mascarada pelo intermediário, que nem sempre conhece a origem dos animais.
    Portanto, criadores que tratam do animal adequadamente e já tomam todos os cuidados para que tenham uma vida digna e saudável, não tem absolutamente porque se opor a esta lei.” Sibele Paulino

  22. Andreas Hasenack says:

    Minha sugestão sobre como a lei deveria ter sido formulada:
    – a parte da regulamentação do comércio fica como está
    – a parte que proíbe a criação deveria ser substituída por uma que regulamenta a atividade, assim como foi feito com a comercialização nessa mesma lei. Talvez algo assim:
    * ter toda uma seção sobre requisitos sanitários, de espaço, de lotação, de descanso, de localização, de limite de crias por animal reprodutor (macho e fêmea), etc
    * registro na prefeitura, alvarás, etc, tal como os locais de comercialização que foram regulamentados
    * todos os animais devem ser microchipados, sem exceção, tanto reprodutores como os comercializados como filhotes
    * animais reprodutores do criador devem ser cadastrados na prefeitura como tal, com dono, cnpj do criador, etc.
    * para um animal ser vendido não-castrado (“inteiro”), somente para outro criador registrado na prefeitura
    * fora o acima, todos os animais somente poderão ser vendidos castrados
    * qualquer operação de venda, transferência ou doação (por exemplo, filhotes que não puderam ser vendidos) deve ser registrada na prefeitura também (como é o caso da regulamentação da comercialização).

    Que tal? Basicamente todos os animais vendidos são castrados. Para ser vendido sem castração, precisa ser para outro criador, também registrado.

    O criador de quem comprei meu animal de estimação só me vendeu após ser castrado. Para vender não castrado, cobraria muito mais e somente se eu fosse criador também.

    Isso é regulamentação, e não proibição. Até por que, como está, basta um criador se mudar para outro local em zona rural que os “puppy mills” continuarão. Não tem NADA nessa lei que impeça criadores inescrupulosos e que maltratem os animais e exagerem na reprodução de continuarem exercendo sua atividade. A lei também não fala nada sobre castração, que parece ser um dos maiores causadores da proliferação de animais de rua (fora o abandono, claro).

    • Rachel Pinheiro says:

      Excelente! É preciso educar para a castração, e aplicar as leis já existentes e PUNIR o abandono e os maus tratos. Para tanto, é preciso FISCALIZAÇÃO.

      Em relação a parte do comércio, surgem algumas desavenças… é preciso que levem em consideração que NÃO HÁ LUCRO na venda de filhotes realizada por criador filantropo… realmente NÃO HÁ LUCRO, e sendo assim, não consivo ver um motivo se quer para que se exija CNPJ e alvará. Sou sim a favor do cadastro na prefeitura, desde que o setor responsável para a aprovação deste cadastro seja instrumentalizado para fazer isso de forma coerente e competente…

      Vamos e venhamos: criadores filantropos que fazem a coisa certinha já vendem os seus filhotes microchipados, já tem um veterinário responsável, e podem sim abrir as portas dos seus espaços para a fiscalização… agora, CNPJ e alvará é demais na minha opinião…

  23. Lorenza Feitosa says:

    E esse povo fala como se o Kennel clube fosse algum tipo de órgão de fiscalização do governo,Kennel clube não tem autoridade para isto,é apenas uma entidade privada.Mas eu sei que estamos indo no caminho certo,está acontecendo em vários países pelo mundo afora,Brasil também,é a tendência,pessoas cada vez mais conscientes querendo fazer deste mundo um lugar mais justo,no futuro não teremos mais lugar para quem quer explorar seres vivos.

  24. Sérgio says:

    A questão é a proteção dos animais….então vejamos todos os criadores de animais exploram os animais em beneficio do ser humano. Não estou vendo ninguém falando sobre os animais que são mortos para alimentar pessoas e as galinhas que ficam varias dentro de uma gaiola para botar ovos… e depois descartada. Não venham dizer que isto não é crueldade? Brigar em favor dos animais é incluir todos!!! Mas os pecuaristas tem mais lobby diferente dos criadores de cães e gatos.

  25. Ronaldo says:

    há em todo o Brasil muitas pessoas que estão mobilizadas para que essa prática de comércio de animais seja proibida ou restringida devido existir uma superpopulação de animais abandonados, maltratados em todo o Brasil e não podemos permitir que pessoas que somente querem obter lucros fácil venham de forma irresponsável e pesando somente no lucro fácil quererem tirar proveito explorando os animais de forma ilegal e irregular.

    O que temos que fazer tabém é concientizar as pessoas, ninguém é ou foi obrigado ter animais, se dicidiu ter deve saber que tem obrigações a cumprir, caos contrário irá responder por isso.Se vcs que são filiados ao kennel club deveriam saber que devem no minimo serem legalizados e não de fundo de quintal e clandestinos.

    A proibição de criação de animais domesticos deve ser proibida em todo o Brasil, pois já temos milhares de animais abandonados e a situação já está fora de controle.

  26. Viviane Darif says:

    Por essa e outras que sou totalmente a favor da Lei sobre criação e venda de animais. Olha o que esses pobres e indefesos passam nas ruas!!!!

    http://camaraempauta.com.br/portal/artigo/ver/id/3488/nome/Protetores_de_animais_resgatam_cachorros_vitimas_de_zoofilia_e_tortura

    • Andreas Hasenack says:

      Viviane, você viu que essa lei na verdade permite o comércio de animais domésticos, certo?

  27. Josiani Delgado says:

    A maior questão hoje em dia, é que nós estamos vendo animais não só sem raça definida, mas também de raça, sendo abandonados, maltratados, sabemos que existem as compras por impulso, acredito que quando vamos comprar ou adotar um animal de estimação temos que ter consciência de que ele precisa de vacinas, vermífigos, banhos, ele vai fazer xixi, cocô, precisa de atenção e carinho, ele vai te acompanhar pelo menos de 10 a 15 anos, então PESSOAL – SEM OFENÇAS AOS CRIADORES SÉRIOS ( EU SEI QUE TEMOS ) , VAMOS TER CONSCIÊNCIA DE QUE É UM SER VIVO QUE NECESSITA DE CUIDADOS, NÃO É UM OBJETO DECORATIVO QUE VAI ENTRAR EM SUA CASA, EM SUA VIDA.

  28. Viviane Darif says:

    Concordo totalmenete com a lei que disciplina a criação e comercialização de animais no município de Curitiba. Além disso, ela foi baseada em uma das medidas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para controle de zoonoses e vetores (populacional). Tantos animais nas ruas e pessoas pagando absurdos por animais “de raça”, enquanto os criadores apenas lucram, sem pensar em como serão tratados os filhotes comprados.

  29. Lorenza Feitosa says:

    Sou amante de animais,e sei que a vasta maioria dos criadores,criam seus animais em regime de prisão perpétua em canis minúsculos,quando não encaixotados e engaiolados,os que são melhores talvez tenham canis limpos e uma ração de melhor qualidade,criadores de cães de raça,não gostam realmente de animais,estão pouco se lixando para questão animal,tão pouco dão bola se os animais que vendem vão parar nas mãos de pessoas que os maltratem,quantos yorks,pugs,poodles acabam passando a vida presos em alguma varanda de apartamento de alto padrão,não se enganem achando que se uma pessoa paga caro por um animal de raça que ela gosta de cães,isto só indica que ela tem dinheiro. Temos muitos animais abandonados,se esses criadores gostassem mesmo de animais como dizem deixariam de explorar animais para se juntar a classe das pessoas que realmente se importam.
    E se querem saber se a Presidente da SPAC acha que a maioria dos criadores maltratam os animais ,podem ter certeza que sim,pois é ela que tem que atender as denúncias de animais em condições de extremo maustratos causados por estes gigolôs de animais.

  30. Patricia Bertoletti says:

    Acredito que os criadores realmente sérios e responsáveis, que amam os animais e os tratam com o respeito e a consideração que merecem e que dão a eles uma vida digna e feliz, não precisam se opor à nova lei! Não estou entendendo a colocação de algumas pessoas… A SPA não está dizendo que todos os criadores são bandidos, como afirmaram anteriormente, mas, como eu, também acreditam que uma lei rígida afastará aqueles que não são idôneos e confiáveis! Os criadores sérios deveriam apoiar (se são tão sérios quanto dizem, não haveria problema algum em realizar suas atividades de acordo com a lei, não é?). E Marcelo, eu também não vejo diferença nenhuma entre um “vira-lata” e um cão reptodutor de cem mil reais… Todos são seres vivos e merecem amor, respeito e uma vida digna! Sua colocação é absurda e desumana… O problema não são os cães, de rua ou não, mas ser humano, muitas vezes ganancioso, irresponsável… E se engana quem pensa que só “menos instruídos” abandonam seus animais nas ruas!
    Tenho certeza de que criadores sérios não se opõe a nova lei! Iriam se opor por quê?

  31. Patricia says:

    O grande problema é a generalização, pois todo cinófilo esta sendo tratado como um simples comerciante…. Os cinófilos vendem os filhotes puro e simplismente para cobrir os custos para manter seus cães e filhotes, pois a criação gera um custo alto.. já os simples comerciantes, que em sua grande maioria não são nem filiados a nenhuma associação, são os que economizam em todos os produtos para seus animais. Um cinófilo ama os animais acima de qualquer coisa, e tem custos muito elevados para manter seus animais em plenas condições de saúde, e na grande maioria das vezes arca com prejuízos ao invés de lucro…

  32. Nazir Ahmad says:

    As principais vitimas da fiscalização serão exatamente aqueles que não precisam ser fiscalizados, os criadores registrados pelo Kennel Clube. Enquanto isso os criadores de fundo de quintal, que não possuem registro algum, assim como as puppy Mills, que muitas vezes se escondem atrás de garagens, e que são os verdadeiros responsáveis pelos maus tratos e pelo abandono, não serão fiscalizados.

    Quem fez essa lei não tinha a menor noção sobre como funciona a criação de cães de raça, isso é um fato!

    • Lorenza Feitosa says:

      O kennel clube não é orgão fiscalizador de nada,é uma associação privada,criador tem que ter cnpj e dar nota fiscal como todo comerciante e estar dentro das leis do município.Está na hora dessa gente deixar de ser gigolô de animal.

      • Nazir Ahmad says:

        Este é um dos motivos pelo qual a lei é falha, em maio a quem faz a fiscalização encontraremos gente ignorante e preconceituosa, como podemos ver na postagem acima.

  33. A quem critica as ONGs e a SPAC, se realmente gosta de animais, por que não tenta ajudá-las?
    Sabem como estes locais sobrevivem? A custa de muito trabalho voluntário e de doações, mantendo os animais a duras penas e fazendo o melhor que podem, sem ganhar NADA em troca. Não existe verba pública, não existe Bill Gates…não existe nada, apenas pessoas de boa vontade tentando aliviar um pouco o sofrimento destes animais abandonados.
    Muitos destes animais um dia foram vendidos por procriadores que, sem o menor critério, encaminham os filhotes para quem puder pagar, sem se preocupar com seu bem estar ou se irão parar nas ruas depois, se irão procriar…enfim, é apenas um objeto comercial. E sim, procriadores maltratam, não cuidam! Fábricas de filhotes são uma das coisas mais horrorosas que já vi e procriadores não passam de gigolôs de animais! Não vejo trabalho nisso, apenas exploração!!
    Existem criadores sérios e responsáveis, que criam por amor à raça e cuidam bem de suas matrizes e padreadores? Sim, existem!
    Digamos que 1% dos canis que conheci até hoje mantinha os animais de forma digna! Estes criadores, inclusive, são totalmente contra os procriadores, tanto que vendem os filhotes apenas com compromisso de castração ou castrados para não ter perigo de caírem nas mãos destes exploradores, fazem termo de responsabilidade, acompanham o cão ainda por um bom tempo para saber se está sendo bem cuidado…enfim, um trabalho bem parecido com o que os protetores fazem. Geralmente estas pessoas criam apenas uma, no máximo duas raças, só vendem animais em suas casas, fazem questão que o comprador conheça os pais são CONTRA, TOTALMENTE CONTRA venda de animais em pet shops e feiras de venda. Sim, ponto prá eles…mostram uma consciência difícil de encontrar hoje por aí!
    Agora…mesmo assim, se a pessoa cria por amor à raça, por hobby, por que não cria e DOA o animal com todo este cuidado?
    Se os protetores tiram do próprio bolso para manter viralatinhas resgatados das ruas e depois doarem, por que uma pessoa que diz que cria porque ama a raça não doa também os animais que cria? É meio um contrassenso, não? Se é hobby, se faz porque gosta, não precisa lucrar com isso, certo? Muito pelo contrário, geralmente as pessoas GASTAM com seus hobbies…
    Então, a lei proíbe a criação COMERCIAL de animais em Curitiba!
    Mas se é por amor à raça, por hobby, os criadores podem continuar…basta não venderem os filhotes!

  34. Na minha opinião CRIADOR de qquer tipo legal, ilegal, quem procriar porque acha bonito é tudo CAFETÃO…e deviam arrumar um emprego de verdade…VAO TRABALHAR NA ROCA CAMBADA DE SER VERGONHAS!!!! Sou a favor de vocês prostituirem suas filhas malditas e venderem a cria delas…assim acho justo…agora DEIXE OS ANIMAIS EM PAZ…malditos. E ainda tem que ouvir q veterinario cria pra vender!!! e pra acabar mesmo..quem devia ser o primeiro a se posicionar contra…procriar pra vender!! Ah ..olha só ..não precisa ver muito bonita não…tenho certeza que vc vai achar um jeito mais digno de ganhar dinheiro..usando seu corpo…isso sim é mais digno do que procriar animais!
    Se existe inferno mesmo…ele está destinado pra vcs CRIADORES DOS INFERNO…malditos CAFETOES!

  35. Em tempo: Apenas para corrigir algumas informações anteriores, antes de um “hobby”, a criação seletiva de cães é uma atividade cultural, pois demanda conhecimento, investimento e pesquisa. Os órgãos específicos já existentes deveriam ter sido consultados e opinado, de modo que a lei não ficasse tão mal fundamentada quanto ficou, tão inconstitucional quanto é. O autor da pretensa lei, em momento algum procurou a diretoria do Kennel Clube da Grande Curitiba ou o Conselho Regional de Medicina Veterinária, que tem uma comissão de bem estar animal capacitada a tratar do assunto.

  36. Ivone Vieira says:

    Lei municipal 13.914. Basta ler a lei e verificar que não há nada de extraordinário nela.
    Os criadores sérios que vivem da comercialização de animais, não terão dificuldades em se adequar. Não acredito que a presidente da SPC acha que TODOS os criadores maltratam os animais, mas sim, que MUITOS fazem isso. Ao Sr. Marcelo Lombardi, posso dizer o mesmo, o desconhecimento é o veneno do mundo, pois desconhece de fato o trabalho das ONG’s, a realidade absurda que eles vivem. E acredito que criadores não são bandidos, apenas exploradores da vaidade humana.A vaidade humana alimenta que cães de raça são superiores ou quem sabe, podem lhe dar um status, afinal você pagou caríssimo por aquele cachorro raro que poucos possuem, Afinal, o que um cachorro de raça tem que um vira lata não tem?
    Vejamos, um cão de raça tem: Ração de primeira qualidade, pedigree, características comuns a raça….
    Um vira lata tem: fome, origem desconhecida, características surpreendentes.
    E comparar criadores com ONG’s não faz nenhum sentido: Criadores comercializam, GANHAM dinheiro com a venda de animais. ONG’s não ganham dinheiro, ao contrário, GASTAM dinheiro socorrendo animais abandonados (caso vocês não saibam porque as ONG’s vivem soterradas de animais e não podem dar melhores condições de vida à eles..
    Explicado melhor: Criadores = $$$$$$
    ONG’s = problemas + problemas + problemas e – apoio – dinheiro
    Criadores querem fazer o seu (irc) trabalho? Ok, se adequem às leis e boas vendas.

  37. Sou criador há mais de 40 anos. Jamais tratei qualquer cão de forma indigna ou desrespeitosa, ou permiti que qualquer desvio de comportamento do animal resultasse em prejuízo à sociedade. As afirmações da presidente da SPA e do “vereador” autor deste arremedo de lei, se não não mentirosas, seriam, no mínimo, expressão de absoluto desconhecimento de ambos. Afirmar que a lei só traz benefícios é uma falácia, uma vez que a proposta da referida não protege nenhum cão de abandono ou maus tratos, nem prevê qualquer forma de punição para quem o faz. Ainda, a mesma lei não dá qualquer indicação de como e aonde os cães eventualmente apreendidos de criadores seriam alojados. Quero crer que em nenhuma das “protetoras” existentes, principalmente na lixeira que se tornou há anos a SPA, no bairro da Santa Cândida, em Curitiba. Inclusive, boa parcela das ditas protetoras independentes, recolhe cães, trata e os aloja em hotéis para cães e em estruturas já existentes de criadores vinculados ao Kennel Clube da Grande Curitiba, na região metropolitana. Tenho como provar esta afirmação. Todavia, concordo que é necessário moralizar o processo de criação e comércio, mas respeitando criadores sérios que vêm sendo tratados pelas protetoras, pela administração municipal e por alguns ignorantes da comunidade como criminosos.

  38. Olha eu sempre peguei cães de rua e cuidei. Alguns fiquei outros reloquei para lares saudáveis ….Um dia acabei pegando um filhote e levei para uma ong (AA) a moça que cuidava dos mais de 300 animais entulhados e maltratados disse: se voce gosta de animal tire-os daqui ….eles não tem chance e vão morrer. As ongs fazem um trabalho solidário sim ! Mas não estão preparadas…Falta conscientização da população! E não é proibindo a criação que irão conscientizar !! Desses quase 300 cães que via diariamente na ong acho que nem 0,5 % eram de raça….todos mestiços, vira-latas ….

  39. Se esses criadores acima estão apreeensivos com a nova lei e amedrontados, certamente não devem cumprir as normas efetivamente. Não tem capacidade de se auto sustentarem financeiramente e necessitam comercializar seres vivos visando bem estar próprio. O comercio de animais, seja qual for é uma vergonha! E tudo que for comentado negativamente sobre ongs de animais e protetores independentes vindo desses criadores ou afins, deve ser ignorado.

  40. Andreas Hasenack says:

    Já existe uma lei estadual sobre isso desde 2001 dizendo que a criação de animais só pode ser feita em zona rural. Por que isso é novidade agora em 2012? Aqui está o link: http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/Codigo_Saude.pdf veja a Seção XIX. Inclusive cita que se área deixar de ser rural, o criadouro precisa se mudar.

  41. Sirley Silva says:

    Interessante os comentários aqui, pelo jeito maioria criadores, falam por todos, engraçado, o que tem de criador que não faz jus ao nome, o por que então de tanta ofensa, se ONG’s não tem local apropriado para os animais abandonados, a culpa não é deles não, vejam vem veterinários e criadores que tanto criticam as Ong’s, o que eles fazem é o que o poder publico deveria fazer, afinal dinheiro para isso há, o que falta e boa vontade, eu sou contra sim criador de fundo de quintal, talvez essa não seja a posição de vocês aqui presente, mas que tem, tem sim e não critiquem as Ong’s elas fazem o que podem e o que não podem, para ajudar que foi abandonado, e não é só SRD que é abandonado, vemos todo dia esses post’s nas redes sociais. A Lei tem que ser boa para ambos lados, para os animais, para as Ong’s e principalmente para profissionais sérios.

  42. Jane Ctba says:

    Sou totalmente a favor da adoção e acho que lei deve ser implantada.

    • Ronaldo says:

      Jane a lei já está em vigor. já foi aprovada e já está valendo. em toda a cidade de Curitiba a criação para fins de comercio é proibida e vc pode fazer a denuncia pelo 156 da prefeitura.

  43. Adriana de Oliveira says:

    A regulamentação só faz bem!!! Aqueles criadores que realmente se preocupam e cuidam de seus cães nada tem a temer e deveriam apoiar esta iniciativa, pois fará com que os criadores clandestinos sejam punidos e, finalmente, banidos de nossa sociedade!!!

  44. Então, para os criadores filantropos, que criam com responsabilidade e amor, e não como fonte de renda, a lei não vai prejudicar em nada. A lei vai contra criadores de fundo de quintal, como aquele do Capão Raso, que por sinal, mais um de seus caes retirados morreu hoje devido aos maus tratos. Quem tá regulamentado não tem o que se revoltar.

  45. Eric Carreras. says:

    Não precisamos ir muito longe no debate, pois o que estamos a discutir nada mais se revela do que um ato de preconceito exercido pelas autoridades públicas, que, inclusive, estão aonde estão, por livre escolha da população, incluindo inúmeros criadores de cães. PRECONCEITO é crime! Agora, o real prejuízo que a população vem sentindo é o desenfreado índice de natalidade oriundo das classes mais desfavorecidas, que procuram “procriar”, sem qualquer controle, motivados pelo “bolsa família”, jogando literalmente nas ruas filhos mendigos, que sofrem pela ausência de uma família, jogados à míngua. O que precisamos é de uma política séria de fiscalização e não de proibição! Devemos respeitar mais a Constituição Federal, tanto a população, como o Poder Público.

  46. Há tantos erros nessa lei. Inconstitucional até o talo. Querer transformar gente de bem em criminoso não pode. Uma lei assim deveria ter sido feito junto do Kennel Clube, que já tem sua própria fiscalização. Fiscalização, aliás, que deveria ser feita também nas ONGs que recolhem cães e gatos da rua, pois costumam ter superlotação e ser focos de doenças infecto-contagiosas. E é para elas que vão levar os cães bem cuidados de criadores idôneos até que sejam castrados e adotados, se algum dia forem adotados. Depois dizem que essa lei traz benefícios? Só se for para aqueles animais nas mãos de “criadores” (na verdade, vendedores e reprodutores de filhotes) que não cuidam de seus animais. Nesses casos, os criadores apoiam totalmente a fiscalização, pois criador que é criador, visa somente o bem estar dos animais, dos seus e dos outros.
    ONGs, se vocês acham que hoje em dia há tantos recursos médicos e alimentícios no mercado pet, saibam que não foi graças aos cães de rua que isso aconteceu. A evolução disso tudo se deu graças a criação de cães de raça e todo o mercado que ela passou a movimentar.

  47. A lei que disciplina a criação e comercialização de animais no município de Curitiba foi baseada em uma das medidas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para controle de zoonoses e vetores (populacional), além de outras medidas como a conscientização da população quanto a guarda responsável, castração e registro geral animal.
    Criadores que se preocupam com a segurança e bem estar dos animais, e não os tratam somente como mercadoria, devem apoiar esta lei e não ser contra ela, pois sua aplicação só trará benefícios para os animais e toda a sociedade.
    Não temos conhecimento de criadores que auxiliam organizações não governamentais e não é prática das organizações, muito menos intenção, realizar parceria para receber este tipo de ajuda, pois seria no mínimo incoerente. As organizações trabalham para encaminhar animais com e sem raça definida que hoje são mantidos em locais super lotados, sendo que HÁ MAIS ANIMAIS DO QUE LARES PARA ACOLHÊ-LOS. Todas as organizações trabalham com dificuldade e mesmo assim, recuperam e castram os animais para adoção há muitos anos, pois entendem a necessidade e importância deste procedimento para a proteção dos animais.
    Hoje há vários animais de raça que dependem de voluntários independentes e organizações não governamentais para sua recuperação e sobrevivência, sendo que muitos vieram diretamente de criadores irresponsáveis e inescrupulosos que tratavam os animais como mercadoria e os descartaram assim que não tinham condições mais para procriar, como cadelas com infecção de útero, tumor de mama, algumas com fetos mortos ainda em seu ventre. Temos inclusive registro na delegacia de polícia de casos onde criadores mantinham animais nestas condições e tentaram justificar a negligência por não terem condições para lhe oferecerem tratamento veterinário!
    Nós que trabalhamos em prol dos animais somos contra sua comercialização, incentivamos a adoção de animais de estimação e recomendamos que se alguém realmente queira adquirir um animal, vá conhecer o local onde são criados e como seus pais são tratados, para que não sustente uma prática cruel e criminosa mascarada pelo intermediário, que nem sempre conhece a origem dos animais.
    Portanto, criadores que tratam do animal adequadamente e já tomam todos os cuidados para que tenham uma vida digna e saudável, não tem absolutamente porque se opor a esta lei.

    • Andreas Hasenack says:

      Soraya, você deveria contactar o pessoal da reportagem, pois há um erro grave nela.

      Acima você diz: “Nós que trabalhamos em prol dos animais somos contra sua comercialização, (…)”.

      A reportagem, no entanto, diz: “Já a Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba é a favor da lei. De acordo com a presidente Soraia Simon, a medida só traz benefícios aos cães.”

      Como a lei permite a comercialização de animais domésticos em Curitiba, e você é contra, as duas afirmações acima não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo. Talvez você seja a favor apenas do primeiro artigo, que proíbe a criação de animais em Curitiba, mas não sei. Deveria contactar a Band News para que corrijam seu “quote”.

  48. Daniele Regina M. Silva says:

    Será que a Presidente da SPC acha que todos os criadores maltratam os animais, os mantém em condições inadequadas, com falta de alimentação e atendimento veterinário? Será que mostrarão as condições dos animais que vivem na SPC e outras ONGS que recolhem cães e gatos? Visitem os criadores sérios de Curitiba e os deixem trabalhar!!!

    • Anderson says:

      Mas a proposta é exatamente tentar trazer uma seriedade. Sou contra a exploração de animais… mas se o vão fazer, que seja de uma forma digna ao menos. Se o criador é sério e responsável não deveria ter nada a temer.

      • Andreas Hasenack says:

        Anderson, a lei não regulamenta a criação, ela a proíbe. Tanto criadores “sérios” como os outros estão proibidos de criarem animais em Curitiba com fins comerciais. Eles podem, no entanto, se mudar para outro município que tenha zona rural e continuar a criação como bem entenderem, da melhor ou pior forma.

  49. MARISA KANAP says:

    TODAS ESTAS PESSOAS QUE SE DIZEM ONGS E ESTAO JUNTANDO CÃES DE RUA,NAO CUIDAM COMO DEVEM…EM FUNDOS DE QUINTAIS COLOCAM TODOS MISTURADOS,ENTRE DOENTES , MACHOS FEMEAS,GRANDES PEQUENOS….CÃES MAIORES MATAM OS MENORES…..E OUTRA SE AS ONGS SE ACHAM TÃO RESPONSAVEIS, PORQUE QUANDO ALGUEM TELEFONA, PEDINDO SOCORRO PARA ALGUM CÃO DE RUA ABANDONADO, ELES NUNCA VEM BUSCAR…..PARA MIM ISSO NÃO É RESPONSABILIDADE….ISSO É MAUS TRATOS AOS CAES….SERA QUE AS ONGS USAM MESMO TODO DINHEIRO QUE ARRECADAM PRA CUIDAR DESTES ANIMAIS…COM CERTEZA NÃO…..JA VISITEI A SOCIEDADE PROTETORA E VARIAS ONGS….A HIGIENE É PESSIMA, A MAGREZA E A SARNA IMPERA NO LOCAL….SEM CONTAR AS DOENÇAS INFECTOCONTAGOISAS…ESTES POBRES ANIMAIS QUE ESTAO SENDO RETIRADOS DE CANIS JA TEM SUA SENTENÇA DE MORTE PROGRAMADA QUANDO VAO PARA AS ONGS…..OUTRA COISA QUE PRECISA SER REVISTA , É QUE EXISTEM CRIADORES E VENDEDORES DE CACHORROS….CRIADOR É AQUELE QUE AMA, CUIDA, GASTA COM OS CAES,,,,VENDEDORES SAO

    AQUELES QUE CRIAM SEM PENSAR NO BEM ESTAR….QUANTO MENOS GASTAR E DER LUCRO MELHOR FICA….É ATRAZ DESTES QUE A JUSTIÇA DEVE IR…..QUERO SABER CADE O NOSSO DIREITO DE IR E VIR,,,CADE O DIREITO QUE TEMOS DE TER PRIVACIDADE ? PORQUE NAO FAZEM FISCALIZAÇÃO NO TRAFICO DE DROGAS, NOS POLITICOS CORRUPTOS, QUEREM MOSTRAR SERVIÇO, ATINGINDO QUEM NAO INFRINGE A LEI ? ESTA VAI SER A BELA CURITIBA DO FUTURO ?POLITICOS SE PREOCUPANDO COM COISAS SIMPLES E DEIXANDO AS IMPORTANTES DE LADO ? E NAO ESQUEÇAM, SAO VOCES QUE COLOCAM ELES LA NO PODER…….

    • Márcio says:

      dona Marisa, Criadora de Fila BRasileiro do canil Ricale:

      GRITAR não vai fazer seu ponto de vista mais válido, sabia ?

      Sim, é fato que ONGS ou protetores não conseguem tratar cães como devem, mas isto se deve ao fato de não PODEREM financeiramente, de não ter escolha. Garanto que dado o suporte financeiro, cada ONG teria seu veterinário pago, canis sempre limpos, (certamente com a infra no minimo igual ao seu canin, como mostra o video (http://www.youtube.com/watch?v=o-67kYgqtbo&feature=plcp) espaço para caminhadas, e principalmente COMIDA no prato dos pequenos todos os dias. ( sabia que existem protetores que deixam de comer para que seus cães tenham ração para uma semana ?)

      Veja, você tem uma estrutura legal, um canil com vários campeões, e cada filhote seu deve custar entre 1 e 2 mil reais aproximadamente. Sabe qual a renda de uma ONG ? ZERO!! ou muito próximo disto, exceto doações, brechós, jantares e similares apra angariar verbas.

      Se a ONG não vai buscar, como você mesmo cita, “E OUTRA SE AS ONGS SE ACHAM TÃO RESPONSAVEIS, PORQUE QUANDO ALGUEM TELEFONA, PEDINDO SOCORRO PARA ALGUM CÃO DE RUA ABANDONADO, ELES NUNCA VEM BUSCAR” é por um simples motivo:

      VOCÊ TAMBÉM TEM QUE SE RESPONSABILIZAR.
      ONGS não são caminhões de lixo que você chama pra tirar o “entulho” da sua vida.

      E mais, eu posso devolver a pergunta para você: por que VOCÊ não ajudou o animal abandonado ? não dava tempo ? não quis se comprometer, por que no fundo você sabe que ajudar um animal demanda tempo e dinheiro ? pense bem.

      Você fala que já visitou a SPAC e outras ONGS, ok. você ajudou ?

      E é engraçada a sua reinvindicação de “direito de ir e vir e privacidade”. Em nenhum momento se impede nenhum destes direitos. A lei apenas estabelece regras.

      • Concordo com tudo Márcio! E complemento, apesar da triste realidade dos cães resgatados que vivem em abrigos, muitos tbém tem o privilégio de poderem ser recolhidos e passarem sua recuperação em canis tao bonitos e bem cuidados como o dessa criadora. Mesmo assim, os protetores só os colocam ali provisoriamente, até que se recuperem e possam ser adotados…pois passar a vida toda em um canil não é VIDA! Muitos ficam por tempo demais, infelizmente…mas os protetores correm atrás, anunciam, vão em eventos de adoção, procurando dar àqueles cães uma família! Tenho muita pena de todos os padreadores e matrizes…queria ver criador confinado em uma jaula a vida toda vir falar que está adorando e defender quem os confinou lá, afinal está ganhando água, comida e um lugar limpo! Vender vidas é covarde e, de longe, um trabalho. Trabalho é o que se faz com suas próprias mãos, usando a sua capacidade, o seu estudo, sua inteligência e empenho…não vendendo os filhos dos outros!

      • érica says:

        Parabéns!!

    • stec says:

      Concordo com vc MARISA KANAP tem q gritar sim . Porque ja precisei dele e nao tiverao a menor intencao de ajudar e ainda forao grossos e mal educados…. Palhacada

      • Simplesmente porque tudo é feito com o NOSSO dinheiro, que é ganho num EMPREGO e não na venda de animais, Não podemos abraçar tudo. Imagina só se fôssemos recolher todos os animais soltos pelas ruas pela irresponsabilidade de criaturas como tu!!! Não precisa ser protetor pra recolher qualquer animal, ou pra denunciar um abandono, maus tratos, crueldade, etc. É fácil repassar pros outros, né? É fácil chamar um “protetor”, né? FAZER é muito difícil, né??? “Protetor” não é PROFISSÃO. Protetor não ganha salário pra ser protetor. Protetor tem emprego e todos os demais objetivos que qualquer pessoa tem, apenas ajuda na medida do POSSÍVEL. Se foram mal educados, é porque todos já estão de SACO CHEIO de gentalha como tu, igualzinha, que nada faz e considera que “fez o possível” pelo “pobre” animal, isto é, chamou um protetor!!! Não é o máximo??? Te garanto que doeu muito no protetor saber de um animal passando mal e NÃO PODER FAZER NADA por ele, por absoluta falta de COMO fazer!!! E se uma criatura humana não pode atender UM só animal, não pode levar UM só animal ao veterinário, não pode gastar com UM só animal e tratá-lo, é melhor mesmo virar as costas e deixar o animal ali, sofrendo, porque a responsabilidade é TUA e não do protetor que não foi buscá-lo!!! Certamente a tua consciência ficou bem tranquila, afinal, chamou um protetor. Lavaste as mãos como Pilatos. É dose ter de aguentar essa gentalha.

  50. Vicente says:

    Realmente o desconhecimento é o veneno do mundo. Desde 2002 o Decreto que regulamenta o Código de Saúde do Estado do Paraná já proíbe a criação animal em áreas urbanas, que é o caso de Curitiba. Santa ignorância.

  51. Junior says:

    Nós Criadores responsáveis, que buscamos melhorar geneticamente as raças, somos credenciados ao Kennel Curitiba, não estamos fugindo de nossas responsabilidades, querem que microshipamos, vamos fazer, pagar os impostos devidos, com todo o prazer! Um lugar dígno limpo, adequado com espaço suficiente para os cães, sem aglomerações de cães, tudo isto temos…NÃO SOMOS CRIMINOSOS, criamos pois temos amor aos animais, pois os nossos ficam conosco até morrer e não como as ong´s dizem que quando ficam velho, abandonamos na rua…. por isso mesmo, você que está lendo este artigo, quantas raças puras você encontra diariamente na rua? Pug´s passeando..yorkshire, malteses, shih-tzu… criando aleatoriamente por ai? Eu não vejo, o que vejo são pessoas desesperadas atrás de cães de raças e srd também que fugiram de casa, por um momento de descuido ou mesmo roubadas. Não podemos generalizar. Existem criadores sérios e “cachorreiros” de fundo de quintal, isto sim tem que acabar. Tratamos nossos cães da melhor forma possível, com melhores raçoes e veterinários responsáveis por eles…tendo assim clientes satisfeitos… e filhotes que levam alegrias a idosos, crianças, pessoas doentes, com depressão e etc….e é isso que querem que acabe? Não temos direito de ter nem um cão de estimação para dar alegria as pessoas? A lei deve ser revista, pois queremos trabalhar de forma legal ! Criadores sérios vão acompanhar a lei com certeza, agora os outros………

    • Lorenza Feitosa says:

      Junior… Melhorar genéticamente animais?????E para que???E aquelas tantas raças com sérios problemas de saúde causado por este tipo de cruzamentos???Cães de raça com problemas para respirar;pugs e bulldogs,dachshunds com problemas de articulação, raças com tendência a otites;cockers,cães com tendência a obesidade;labradores.Até alguns spring spaniels com problemas na formação do crânio levando a epilepsia devido a estas pseudo melhoras genéticas e o que são as melhoras genéticas na visão dessas pessoas,é uma maneira de deixar o cachorro mais bonitinho ou menor,ou com alguma característica diferente para que sejam mais interessantes para comercialização,estão pouco se lixando se esses cruzamentos vão acarretar algum problema de saúde para os futuros cãezinhos.
      Sim somos protetores de cães,gastamos pelo menos 10 x mais com um vira resgatado do que estes criadores jamais gastariam com seus produtos(cães de raça) os quais é padrão dos criadores se desfazerem(normalmente abandonam,claro que os protetores resgatam)quando o animal requer um gasto maior que o lucro ou não serve mais para reprodução.
      No Brasil inteiro a proteção animal está crescendo,passando leis e regulamentações novas.,Viva essas pessoas de bem que querem fazer este país melhorar,viva estas pessoas que carregam em seu coração amor verdadeiro por uma causa.Criadores não gostam de animais,se enquadram na mesma classe de gente que gosta de vaquejada, rodeio,farra do boi… já vi gente que que gosta de rinha de galo alegar que os animais são super bem tratados.

  52. Daniel says:

    Eu ajudei ongs, vonluntários, só eu já retirei da rua mais de 15 cães e devo ter gasto com eles cerce de uns 6 mil em consultas, internações e remédios.
    Infelizmente se os canis dos criadores não são capazes de cuidarem de seus cães as ongs também não.
    Muitas ongs são conhecidas como MATADOUROS. Basta o cão entrar na ong e o mesmo já contrai uma doença infectocontagiosa.
    Parei de trabalhar como voluntário, pois percebi que não adianta pegar os cães das ruas sem que faça um trabalho de conscientização !
    As pessoas abandonam seus cães sem pudor algum. Cães estes sem raça definida, ou comprados em pet shops, aviarios, pelo simples impulso …

  53. Eu gostaria muito de ter ouvido a opinião de um especialista em controle populacional de animais de rua, alguém credenciado para dar sua opinião sobre o assunto, que sabe que essa lei não vai mudar em nada a situação desses animais. Infelizmente o que está publicado aqui é apenas a opinião da sociedade protetora dos animais, totalmente parcial.

    • É lógico que somos parciais, pois nós colocamos a mão na massa e não queremos saber nada de “opinião de um especialista em controle populacional de animais de rua”. Ora, que especialista? Aqueles que mandam recolher tudo e matar??? Como já ouvi de vários veterinários? Estes são os especialistas? Procure no google um projeto “postos veterinários de proteção animal”, em que é bem explicado o que se deve fazer e a solução que realmente vai adiantar, não um paliativo, uma meia-sola, que é o que fazem hoje em dia.

  54. O desconhecimento é o veneno do mundo! As Ongs não sabem o que dizem! Não conhecem cinofilia (criação de cães de raça pura) e acham que cão de rua é igual a um reprodutor que pode valer cem mil reais! O poder público é omisso! Tem que controlar zoonose! tem que castrar cão de rua! Tem que educar o povo menos instruído que abandona cachorro na rua! E tem que parar de financiar ONGs que só sabem bater panela e promover engajamentos vazios! As ONGs são formadas por um bando de desocupados que por falta de atividade preferem arrumar uma verbazinha pública para fazer campanha! Vão arrumar um servicinho e deixem as atividades organizadas flu[irem! Se vocês recolhessem tantos impostos quanto nós criadores sérios recolhemos, provavelmente haveria recursos para educar e controlar a população de cães de rua!

    • Márcio says:

      O que voce chama de bando de desocupados, tem que arcar com os cães que criadores sem escrúpulos vendem e sao abandonados. Enquanto criadores valorizam o lucro, protetores valorizam a vida.

      cem mil reais em um cão. já percebeu a OBSCENIDADE disto ?

      E não venha com esse discurso idiota de que recursos extras fariam a prefeitura controlar a população de caes de rua, seja realista. voce SABE que dinheiro de imposto NÃO VAI pra problemas de animais de rua. nunca foi.
      Alem disto as ONGS protetoras de animais não recebem alguma verba pública. isto é MENTIRA. não há sequer um projeto de lei que garanta qualquer verba para ONGS deste setor.

      A realidade é que as ONGS fazem o trabalhinho sujo que ninguém quer fazer, de recuperar cães de rua, sem dinheiro, só na base da cara e da coragem.

    • Olha, em que cidade vc vive???? De onde vc tirou que as ONGs de proteção animal recebem verba pública??? É tudo doação de voluntários e do proprio bolso dos organizadores! Vá se informar antes de falar. Vai ver a luta dos protetores, pra resgatar animais, cuidar, conseguir um bom lar! Luta física, psicológica e financeira! Ao contrario dos criadores, que “trabalham” explorando os animais.
      Faça um filho e venda! Um atrás do outro. Deu a luz, engravide de novo e venda seu filho pro primeiro que pagar, sem saber das condições da pessoa, se vai cuidar bem, até o resto da vida, ou se no primeiro problema vai deixar amarrado, trancado num canil, ou abandoná-lo em qq rua!

    • A única verba das ONGs protetoras de animais que eu ajudo vem de doação. Elas sobrevivem com dificuldade, em condições precárias e sobrecarregadas de animais. Aconselho as pessoas que falam mal delas ir lá conhecer uma e ver a luta diária delas. A reenvindicação por mudanças de leis é uma inicitiva válida e lógica em qualquer democracia. É vital que mudanças sejam feitas na cidade de Curitiba em relação aos animais domésticos porque todo dia vejo de 2 a 3 cães vagando abandonados no meu bairro sob frio e chuva e isso é muito triste.Me sinto envergonhada de ver tantos animais abandonados nas ruas. Pergunto: Isso é cidade de primeiro mundo??

    • Anderson says:

      Quer dizer então que o seu reprodutor, raça pura é superior ao cão de rua?

    • Lorenza Feitosa says:

      Eu sou empresária e recolho muitos impostos,todos veterinários que atendem meus animais resgatados também recolhem muitos impostos,a fábrica da ração que compro também recolhe impostos e pode ter certeza que a principal ocupação das protetoras é fazer deste mundo um lugar melhor.Graças a um trabalho árduo das protetoras(isto vem ocorrendo no mundo inteiro)cada vem mais as pessoas se conscientizam que não se devem comprar animais e sim adotar,graças ao deus a classe dos protetores fica cada vez mais forte,todos os dias ao se deparar com um animal abandonado nasce um mais novo protetor,hoje já somos um número muito maior que criadores,imaginem no futuro.Somos pessoas de muitos valores,valores que transcendem a proteção animal e Graças a Deus que estamos aqui no grupo de pessoas que quer fazer este país evoluir.

    • Credo!!! Agora quem é que DESCONHECE TOTALMENTE O ASSUNTO ??? Desocupados? Eu te garanto que os protetores estão sempre muito ocupados, recolhendo animais abandonados, tratando-os e encaminhando para adoção, aliás, nem todos são “adotáveis”, muitos ficam para sempre nas casas dos protetores, porque não são de raça, não são “bonitinhos”, são adultos, “feios”, idosos, sem patas e muitas coisas mais. Tu falas como se todos os criadores fossem honestos, conscientes e “bonzinhos”. Ora, tu é que tens de informar melhor sobre os teus “colegas”. A grande maioria nem “criadores” são, simplesmente compram um casal, ou mais, de qualquer raça, colocam-no num canil, ou numa gaiolinha, e dê-lhe a “tirar cria”. Uma em cima da outra. Emprestam as fêmeas pra algum “amigo” que tem um machinho, ou emprestam o macho, enfim, mil negócios!!! Não vacinam e muitas vezes as “matrizes” morrem de qualquer doença, porque nem levam ao veterinário. Daí, arruma outra. O que fazem com os filhotes que ninguém compra? Não querem gastar, então, jogam na rua quando estão muito grandes pra vender. E fazem mais filhotes e mais filhotes e mais filhotes. Tu sabes o que fazem com os filhotes que vão aí comprar? Não? Pois nós sabemos. Se compram por impulso, o que acontece sempre, passada uma semana, aí é que descobrem que o animalzinho faz xixi e coco!!! Não é incrível? E que “dá muito trabalho” limpar merda de cachorro!!! E jogam na rua. Adivinha quem recolhe, se o coitadinho não morre atropelado logo??? E vão cruzando pai com filha, mãe com filho, irmão com irmã, com todas as doenças daí decorrentes. A grande maioria que compra animais, gasta um horror de veterinário, porque passado algum tempo, o coitadinho começa a apresentar problemas e o gasto em veterinário torna-se proibitivo. Então o animalzinho morre. Tu falas, com desprezo, dos animais de rua, dos abandonados. Mas quem os abandonou? Por que estão na rua? Porque um desgraçado os colocou lá!!! Os animais não SÃO abandonados, eles FORAM abandonados. Cachorro DE rua não existe, mesmo os que nasceram na rua. Os seus pais ou avós foram abandonados e se procriaram na rua, mas as origens não são DE rua. Estás entendendo, seu ignorante??? E uma das maiores causas são os irresponsáveis, honestos e desonestos, que CRIAM E VENDEM ANIMAIS !!! Inclusive os que não vendem, mas deixam as suas fêmeas sem castração procriando e eles doando os filhotes para os vizinhos e parentes, que muitas vezes colocam as pobres criaturinhas na rua!!! Todos irresponsáveis!!! Todos culpados pela situação caótica em que vivem os animais e os protetores!!! É claro que precisamos de dinheiro público, porque, pela lei, o poder público é responsável, sim, pelos animais, inclusive o Ministério Público. Por quê? Porque não tomam uma atitude PROIBINDO A CRIAÇÃO E O COMÉRCIO DE ANIMAIS DEFINITIVAMENTE !!! Porque não tomam uma atitude definitiva contra os criminosos e assassinos de animais que os criam sem saber o seu destino e que ganham dinheiro às custas dessas criaturas e “não têm dinheiro pra levar no veterinário” quando ficam doentes!!! Porque todo mundo está acostumado a que as leis são só pros trouxas!!! E tu ainda vens com esse papo furado dos honestos e “bonzinhos” criadores de animais??? Tenha dó! Não maltrata a minha inteligência!!! Porque nós vivenciamos todos os dias o que acontece com os animais. E vens falar em 100 mil reais por um cachorro? E não prendem quem cobra e quem paga??? É uma pouca vergonha. Essas experiências com os pobres dos animais, cruzando até que cheguem na “pureza” desejada, deixando pelo caminho milhares de animais mortos, “sacrificados” em nome da ciência!!! Chegamos mesmo ao fim do mundo. E tu ainda vens querer estufar o peito e falar “você pensa com quem está falando”??? Vão se catar, seus exploradores!!! Vão se informar!!! Vocês vivem num mundinho a parte, numa realidade que não corresponde à realidade. Vivem da exploração dos animais. Vão fazer alguma coisa útil, um trabalho honesto, por exemplo. Tu e os teus colegas exploradores!!!

      • Hitsugaya Taichou says:

        Simplesmente falou tudo, Terezinha! Aplaudo de pé!
        Chega de hipocrisia por parte desses criadores! Os tempos mudaram, minha gente! Assim como por exemplo, o mundo está despertando para o fato de que as touradas são atos abomináveis, temos que despertar para a realidade de que animais não são objetos de venda! Se isso já foi visto como normal um dia, hoje, em 2012, já não o é mais. Temos que parar de sermos egoístas e orgulhosos e começar a pensar mais nos animais! Mas pensar totalmente, ou seja, no bem estar deles! Você gostaria de ser vendido? Não? Então não faça com os animais o que não gostaria que fizessem com você!

      • stec says:

        Porem vcs so recolhem os qual vcs querem. Porque algum tempo encontramos uma cachorrinha em sitiacao grave e sem condicoes ligamos pra vcs e vcs nao derao a minima e ainda forao grossos e mal educados. Dai e facil ser protetora so recolhe o q elhe e conveniente.

    • Yanê Carvalho says:

      gigolô de cachorro!

    • Juliane says:

      A lei já foi aprovada e já está em vigor na cidade de Curitiba. Entenda-se: a criação de animais para fins de comércio é proibida. Denuncie pelo 156 da prefeitura, caso você se depare com esse tipo de comercialização. Não seja conivente com esse desatino.
      Desculpe, Marcelo, mas eu transcrevo aqui sua afirmação: “O desconhecimento é o veneno do mundo!”
      Em que planeta você vive? Quem te disse que ONGs recebem verbas públicas? Você também precisa se informar melhor….
      E não ofenda os protetores, porque se não fosse pelo trabalho deles, a situação dos animais abandonados (de raça ou sem raça) estaria muito pior. De uma coisa você pode ter certeza: desocupados eles não são. E gastam o que podem e até o que não podem (sim, do próprio bolso) para resolver problemas (resgate, tratamento veterinário, alimentação, moradia, socialização dos animais) que nem sequer foram criados por eles.
      Então, pare e pense. Reflita. Olhe ao seu redor. E depois escreva.
      Os protetores e os voluntários das ONGs, hoje, é que estão fazendo a grande diferença para que Curitiba se torne uma cidade melhor neste sentido.
      Os abrigos estão superlotados por causa da posse irresponsável. A sociedade precisa ser educada, conscientizada, responsabilizada.
      Não existe diferença entre um animal SRD e um outro com raça. Todos merecem respeito e tratamento digno se partirmos do princípio de que todos somos seres vivos!
      Criadores sérios deveriam apoiar essa lei e não temê-la, já que o argumento que estão usando com mais frequência aqui é que “isso é apenas um hobby, e não visa o lucro…”

  55. Daniele Regina M. Silva says:

    Sou veterinária e criadora, acho que o deveria ser feito é a regularização dos criadores, que devem ter veterinários responsáveis e instalações adequadas. O que as ONGS estão fazendo é dizer que ciadores são bandidos , enquanto que os filiados ao Kennel Club são pessoas conscientes e que amam o que fazem. Agora as ONGS tem lugar para colocar os animais???

    • Anderson says:

      Não é meio contraditório você ser veterinária E criadora?

      Ou você era uma criadora e depois se tornou veterinária para maximizar ainda mais seus lucros?

      • Eu sou veterinária e criadora também. Qual é a contradição?

      • Jill Cristine says:

        Qual é o problema d ser veterinária e criadora? Eu sou advogada e criadora não há nenhuma contradição nisso!!

      • Anderson says:

        Jill, pergunte à um veterinário qual foi o juramento que ele fez ao receber o diploma.

        Luciana, se você não se lembra do seu juramento… não posso lhe ajudar.

    • Lorenza Feitosa says:

      Será porque que não temos mais onde colocar animais?Porque ainda tem gente que prefere continuar procriando bicho num mundo onde não existe espaço para todos,gostaria de saber se os criadores se importam de saber o que acontece com os cães que vendem,o procedimento padrão das protetoras é fazer entrevista,visitar a casa,telefonar e visitar o animal depois de doado,isto para se certificar que não estão sendo mau tratados,mas os criadores,só pensam no lucro,quantas denúncias de animais de raça(na maioria das vezes vendidos por criadores)em condições precárias procuramos atender.Não!!!criadores não gostam de animais,assim como já ouvi um peão de rodeio e até um sujeito adepto a vaquejada falando que ama os bichos,estes são sim exploradores de animais que só pensam no próprio lucro,prazer e bem estar. Está na hora de criadores (aqueles que talvez sejam mais conscientes)e veterinários começarem a olhar o mundo a sua volta,se não querem ajudar,pelo menos que não atrapalhem, alguém que ame os animais deveria querer vê-los em uma situação mais favorável,deveria olhar esses animais com verdadeira compaixão e não como um objeto. Vc Daniele,nunca se perguntou o que será que aconteceu com algum filhotinho dos que vendeu?Ou não se importa?

      • Rachel Pinheiro says:

        Eu creio que você está colocando no mesmo saco coisas bastante diferentes… assim como os colegas acima que criticaram ONGs… são todas iguais? São todas de fachada? Eu acredito que não… peço apenas que você reflita e veja que existem criadores e reprodutores de cães. Eu não estou nem criticando e nem palpitando em relação a validade do seu trabalho porque eu não tenho informações suficientes para tal, e creio que você também não tem informações o suficiente para dizer o que está dizendo… colocar na mesma categoria os criadores filantropos e os reprodutores de cães demonstra IMENSA falta de informação a respeito. Fique você sabendo que, como eu escrevi acima, nos responsabilizamos pelo filhote vendido até a sua morte, e o recebemos de volta, mesmo na idade adulta, caso ocorra algum problema entre o cachorro e a sua família. Porém, para quem trabalha direitinho que nem eu, esses problemas são muito raros, pois ao contrário do que você afirmou, nós selecionamos e muito os futuros donos dos filhotes. A criação filantrópica de cães de raça dá tanta despesa, que é impossível se recuperar metade do investimento com a venda de filhotes. Falar que TODOS visam lucro é uma inverdade. Quem visa lucro é o reprodutor de cães e não o criador… e a tal lei não vai atingir o reprodutor assim como atinge o criador. Já parou pra pensar nisso?

        Eu não sou de Curitiba, sou do interior de São Paulo, e te convido para conhecer o meu esquema de criação. Minhas portas estão abertas para quem quiser atestar a qualidade de vida que proporciono aos meus cães, assim como conversar com QUALQUER dono de filhote meu vendido.

        Agora você pode se perguntar porque alguem gasta dinheiro e se dedica a uma atividade que não te dá retorno? Esta é a definição de hobby… ninguém ganha dinheiro mergulhando, saltando de pára-quedas ou andando de patins… são hobbys, e as pessoas o praticam por afinidade, por amor, por se sentir bem. Não podemos nem julgar e muito menos condenar como uma pessoa usa o próprio dinheiro. Tenho certeza que você tem os seus momentos de diversão, alguns são mais caros, outros quase de graça, mas você, além de salvar anjos, também se diverte, também tem seu hobby.

        Nós criadores filantropos temos o nosso, e justamente porque desempenhamos o nosso hobby da forma correta, somos os mais atingidos por esse tipo de lei. Te garanto que reprodutores de cães, que cruzam indiscriminadamente, sem seleção genetica baseada em critérios técnicos, sem controle de doenças e sem priorizar a qualidade de vida dos seus animais, como estes, os reprodutores, são invisíveis, continuarão com a sua prática estúpida e cruel sem o menor problema.

        Não sou a favor do abandono, nem contra a castração, e muito menos da adoção de um vira-latinha (aliás, eu sempre pergunto para as pessoas que me procuram atras de filhote o porque de elas não adotarem um anjinho sem dono, e algumas delas mudam de idéia em relação a compra), também não sou contra as protetoras que trabalham direitinho, por que tenho que ser atacada desta forma? Por que tenho que ser perseguida por um poder público que pouco faz, e que ignorantemente joga a razão do problema nas costas de uma categoria inteira?

    • Ronaldo says:

      Daniele, veirfique a lei 13.914/11 antes de opinar, quem ama os animais jamais deveria criá-los com objetivos comerciais e é isso que a lei restringe.qando vc fala que as ongs tem lugar para colocar os animais também é falta de informação sua, abrigo na minha opinião não deveria nem existir, pois também sou contra os abrigos pois nunca resolveu e nem vai resolver.

      O que temos que fazer é concientizar as pessoas, ninguém é ou foi obrigado ter animais, se dicidiu ter deve saber que tem obrigações a cumprir, caos contrário irá responder por isso.Se vcs que são filiados ao kennel club deveriam saber que devem no minimo serem legalizados e não de fundo de quintal e clandestinos.

  56. Rachel Pinheiro says:

    Baseado em que se afirma que a maioria dos criadores não proporciona qualidade de vida aos seus cães? Só a informação liberta, e acho que falta informação nesta afirmação. É preciso diferenciar os criadores filantropos (que criam por hobby) dos reprodutores de cães. De forma alguma os primeiros contribuem com maus tratos ou abandono. Aliás, muito pelo contrário, pois estes se responsabilizam em receber de volta os filhotes vendidos, mesmo depois de adultos, caso haja necessidade, fazem campanha em pró da castração destes filhotes (e alguns deles só são vendidos após a castração), e grande parte deles contribui com ONGs ou até mesmo de forma mais ativa, recolhendo animais de rua.

    Por que não se cria a obrigatoriedade de filiação a um orgão cinófilo dos reprodutores de cães, assim como já acontece com os criadores filantropos? Alguém envolvido na elaboração desta lei o que a apóia, tem o conhecimento de que a cinofilia filantrópica organizada no Brasil é ligada ao Ministério da Agricultura e filiada a órgãos internacionais que regem a cinofilia no mundo? Alguém desses têm o conhecimento do tamanho e nível de organização que apresenta esse sistema? Alguém desses sabe das regras que definem a criação filantrópica de cães de raça e as formas de fiscalização e avaliação da qualidade dos cães que contribuem na reprodução?

    Só a informação liberta…

    • Então, para os criadores filantropos, que criam com responsabilidade e amor, e não como fonte de renda, a lei não vai prejudicar em nada. A lei vai contra criadores de fundo de quintal, como aquele do Capão Raso, que por sinal, mais um de seus caes retirados morreu hoje devido aos maus tratos. Quem tá regulamentado não tem o que se revoltar.

      • Rachel Pinheiro says:

        Mas a lei exige CNPJ e alvará de funcionamento, nota fiscal e etc… se pararmos pra pensar que não há lucro na atividade do criador filantropo, qual a razão de se exigir CNPJ? Nota fiscal? Nem sei se pode se encarado como comércio o que fazemos, pois qual estabelecimento comercial não lucrativo existe e continua existindo por opção? Nós já vendemos filhotes microchipados, e creio que não existe motivo para se opor a fiscalização e cadastro da prefeitura, desde que o setor responsável seja instrumentalizado para isso.

        Certa vez a vigilância sanitária fez uma visita a minha casa. Depois de olhar tudo nos mínimos detalhes e não ter o que reclamar, começou com uma ladainha de que os meus cães não tinham como se expressar em sua totalidade, pois ficavam presos em partes do dia e soltos em outras partes do dia e noite… a fiscalização realizada por um órgão desses é no mínimo falha, pois as pessoas que fazem as visitas não tem preparo tecnico para isso…

        Mas sou sim a favor da fiscalização, desde que bem feita, e isso a lei não garante, né?

    • Hitsugaya Taichou says:

      E desde quando negociar vidas é um hobby? Pelo menos um hobby saudável não é! Não me venha com essas abobrinhas! Vender animais devia ser CRIME! Isso é uma espécie de racismo, igual ao que existe entre os seres humanos, quando dizem que o negro é inferior. Da mesma forma que dizem que cães de raça são superiores e custam dinheiro. Pare de palhaçada. Pare de segregar! Deviam trabalhar em algo mais digno do que ficar vendendo animais!

      • Nazir Ahmad says:

        Cães de raça foram selecionados durante séculos para cumprir com perfeição e facilidade funções especificas, funções estas que até hoje são usadas no nosso dia a dia e que podem salvar vidas.
        Até podemos ter SRD capazes de cumprir tais funções, mas até achar um mais apto para tal teremos um trabalho homérico com vários animais descartados por serem incapazes de trabalhar com a facilidade exigida.
        Bloodhounds são usados para faro, resgate, buscas, seu faro foi selecionado durante anos ( centena deles) para ser o melhor nisso, dificilmente encontraremos um SRD com tal faro.
        Border Collies são usados para pastorear, um border collie treinado faz o trabalho de 10 homens no campo.
        Pastores Anatoliano são usados para espantar Guepardos na Africa, garantindo assim a preservação da especie (literalmente, salvaram a especie da extinção).
        Todos cães de raça, selecionados e por isso aptos a fazer com perfeição um trabalho que dificilmente conseguiríamos.com cães sem tal seleção especifica, seja elapor temperamento ou por aparência.
        Patrimônio genético, seleção essa que se perdida, dificilmente poderá ser recuperada.
        Criadores de cães já são massacrados por impostos, basta ver o quanto uma ração importada é taxada no Brasil, pagam por importações, pagam por inseminação, pagam por tudo e dificilmente conseguem bater os gastos da ninhada com a venda dos filhotes. A venda dos filhotes para um criador, não é nada mais nada menos do que uma pequena ajuda para cobrir os gastos que o mesmo teve com a criação em si, sem levar em consideração todo o trabalho que o mesmo tem todos os dias do ano 24/7, para salvar ou manter uma raça que, além de útil ao ser humano, carrega consigo patrimônio histórico.
        Querer a extinção dos cães de raça usando a desculpa clássica e gasta do nazismo ou do racismo apenas comprova a ignorância de alguns protetores, que fazem a classe passar vergonha perante os verdadeiros amantes dos animais. Pela existência destes auto proclamados protetores (porque um protetor jamais pode mostrar ignorância a tal ponto) que esta lei é falha.

      • Rachel Pinheiro says:

        Olha… investi parte do meu tempo aqui com a intenção de troca de experiências. Eu tenho uma pexperiência e um conhecimento que quase nenhum protetor tem. Por outro lado, tenho muito a aprender com eles, desde que exista educação, Me recuso a trocar idéia com pessoas que não tem preparo para uma discussão construtiva, com educação e sem agressão, e muito menos que não estejam tão predispostas quanto eu a aprenderem. Portanto, Sr. Hitsugaya Taichou, se a sua intenção era acabar com este espaço de discussão, então eu vou aderir a ela e encerrar por aqui as minhas falas.

        Não agredi ninguém, e acho que tenho o direito de ser tratada com o respeito que tratei a todos até então… Só lamento pelas pessoas de bem, protetores e criadores, que também investiram o tempo delas, mas que não conseguiram manter o nível da troca de idéias por conta de uma imensa esmagadora mairoia desrespeitosa e sem educação.

        Até mais!

    • Yanê Carvalho says:

      Quanta mentira!!! desde quando é filantropia vender vidas?? me mostre um gigolô de cães (porque é isto que os criadores são) que tenha vendido um filhote castrado? nem com as vacinas eles vendem! se voce quer saber sobre criadores e maus tratos te mando duzias de fotos mostrando como ficam as “matrizes” de pois de um tempo. Procura saber do canil clandestino que foi encontrado no Pinheirinho, os cães criados trancados em caixas, doentes, morrendo! quem cria e vende animais é o pior da raça humana!

      • Andreas Hasenack says:

        A sua raiva é bem aparente, mas colocar todo mundo no mesmo saco é errado. Seria que nem dizer para acabar com jogos de futebol com público porque todos os torcedores são selvagens, drogados, idiotas e quebradores de ônibus. Fotos e vídeos “comprovando” isso não faltam. Eu entendo, eu mesmo já cometi esse erro e generalizei o caso desses torcedores (mas jamais vou colocar os pés num estádio de futebol em dia de jogo).

        Quanto ao caso do pinheirinho (link para notícia: http://www.policiamilitar.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=5318), não precisaria da lei de proibição de criação para ser fechado, correto?. Basta a de maus tratos que já existe, e é inclusive *criminal*, com punição potencialmente maior.

        Caso contrário, era só este canil estar em uma área rural que poderia continuar torturando esses pobres animais sem maiores consequências.

      • Joana says:

        Sabe o que é pior?? Pior é se fingier de bonzinho e ser mau carater,…me responda uma coisa só..Voce sabe me dizer onde estao os caes que foram apreendido ali do canil do santa candida?? Em especial, os Bulldogs Franceses? Se inferome, me diz pra onde foram..voce vai ter que se virar bastante, pois foram TODOS VENDIDOS PARA CRIADORES EM SAO PAULO…Me prove o contrario me dando endereço de onde posso achar os caes castrados e doados..

    • Edna Rosa says:

      Acho ridículo vender animais, numa situação que o país luta pelo controle eficiente, acho que não é o momento. Daqui há alguns anos talvez. Agora todos precisam se unir e ter consciência

    • Pois é, só a informação liberta. Uns poucos criadores “conscientes” e a grande maioria o que é? Tem de haver regras, sim. O problema do brasileiro é não querer regra pra nada. Por isso, este país está nesta situação: GANDAIA !!! Não foi criado um problema, foi criada uma pequena solução, que não é a ideal. O ideal seria a proibição total da criação e venda de animais e pronto!!! Os criadores “conscientes” DENUNCIAM aqueles que não o são? NÃO !!! Fica todo mundo quietinho, o corporativismo falando mais alto do que a consciência. Se a fiscalização (?) pegar um, azar dele. Os criadores “conscientes” vestem-se de “santos” e o problema é só dos outros. Precisamos de solução, não paliativos. O que precisa é uma campanha geral e irrestrita de castrações, mas há lógica que se faça isso e, ao mesmo tempo, se permita a criação e venda de animais? Tem lógica nisso? Que vão investir em outra coisa! Campo tem, aos montes.

Deixe uma resposta (os comentários não representam a opinião deste veículo e são submetidos a aprovação)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 27.303 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: