Deputada federal é dispensada de depor no júri de Carli Filho

(Foto: Ricardo Pereira/ BandNews Fm Curitiba)

A deputada federal Christiane Yared, mãe de uma das vítimas mortas na colisão provocada por Luiz Fernando Ribas Carli Filho, não vai depor durante o julgamento. Ela acompanha o júri, que teve início pouco depois das 13 horas, mas devido ao abalo emocional, não deve falar. O pedido foi feito pela assistência da acusação e acatado pelo juiz Daniel de Avelar, titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Curitiba.

Segundo o advogado Elias Mattar Assad, que representa a família de Gilmar Rafael Yared, morto aos 26 anos de idade, a parlamentar não tinha a menor condição de testemunhar na sessão.

Christiane chegou ao Tribunal acompanhada do advogado e do marido, Gilmar Yared. Ela falou com a BandNews logo após ser dispensada de depor em plenário.

Também bastante emocionada, Vera Lúcia Oliveira, mãe da outra vítima, o jovem Carlos Murilo de Almeida, que tinha 20 anos na época do acidente, falou sobre o sentimento a respeito do ex-deputado. Ela conta que não tem raiva de Carli, apenas uma grande mágoa pela perda do filho.

A família de Carlos Murilo é representada por Juarez Xavier Küster, que também atua no processo como assistente da acusação. À reportagem, o advogado falou sobre o legado que o caso pode deixar para o país.

As primeiras testemunhas a depor são as de defesa, seguidas pelas de acusação. Elas respondem a questões formuladas pelo Ministério Público e pelo advogado da defesa, mas os jurados também podem fazer perguntas por intermédio do juiz.

Na sequência, Carli Filho vai ser interrogado pelo magistrado, pela promotoria de Justiça e pela defesa, nesta ordem, e a ideia é que o processo esteja instruído até as 23 horas de hoje para retomada das atividades amanhã (28), às 9 horas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*