Agentes socioeducativos estão em greve no PR

Eles pedem mais segurança. Por causa da paralisação, houve confusão em pelo menos dois educandários, que atendem adolescentes que cumprem medidas socioeducativas. Segundo o sindicato que representa os servidores, houve rebelião em Laranjeiras do Sul e Cascavel, onde a tropa de choque da Polícia Militar teve que ser acionada para conter a confusão. Os serviços de alimentação, higiene e emergência estão mantidos. No entanto, as visitas estão suspensas o que causou revolta dos adolescentes. O presidente do sindicato que representa os agentes socioeducativos Mário Monteiro reclama da falta de segurança nas unidades, o que coloca em risco a vida dos trabalhadores e dos próprios adolescentes.

Os agentes também pedem um reajuste de 14,8% nas gratificações, seguro de vida, vale alimentação, vale transporte e mais contratações. O presidente do sindicato diz que as condições da categoria são incompatíveis com o trabalho.

O estado tem 1.200 funcionários que trabalham em 18 unidades do Paraná. Eles prometem que vão manter um efetivo mínimo de 30% nos locais. A Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social informou por meio da assessoria de imprensa que a criação de um cargo de agente que possa andar armado nos educandários é estudada. A categoria entregou um plano à pasta e a proposta ainda precisa de um aparecer da Ordem dos Advogados o Brasil no Paraná e do Ministério Público. Além disso, a secretaria informou que 411 novos funcionários serão contratados ainda neste ano.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*