Após dois dias, servidores da Ebserh suspendem paralisação

Foto: Hospital de Clínicas de Curitiba/ Divulgação

A greve dos servidores da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que atuam no Hospital de Clínicas de Curitiba e na Maternidade Victor Ferreira do Amaral foi suspensa nesta quarta-feira (06). De acordo com o Sinditest-PR (Sindicato dos Trabalhadores em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior) uma liminar da Justiça, impondo multa à categoria, fez com que os trabalhadores optassem por encerrar a paralisação. O coordenador do Sindicato, Max Colares, explica que apesar da suspensão da greve, a categoria continua em estado de mobilização.

O coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal no Estado do Paraná (Sidsep), José Alves de Souza, explica que a raiz do movimento é um desacordo em relação ao reajuste salarial da categoria. Os trabalhadores exigem o pagamento de 100% do retroativo de 2017.

Pelo menos 200 trabalhadores pararam as atividades nos dois dias de greve, no entanto, o coordenador do Sinditest afirma que nenhum atendimento foi prejudicado neste período.

Uma nova rodada de negociações será feita em Brasília na tentativa de fazer com que as partes entrem em acordo em relação ao reajuste dos servidores. Max Colares diz que os dois dias de paralisação serviram para que o sindicato patronal apresentasse uma proposta mais próxima à reivindicada pela categoria.

A Ebserh é uma autarquia que cuida dos hospitais públicos administrados pela União que se mantém com recursos da União. Os trabalhadores da empresa são lotados nos hospitais universitários do país.

Em todo o Brasil são 39 as unidades atendidas pela organização. No Hospital de Clínicas, os quase 1,5 mil colaboradores atuam em diferentes setores. O HC é o maior hospital do Paraná e realiza, mensalmente, cerca de 30 mil consultas, aproximadamente 1,3 mil internamentos e quase 900 cirurgias. Até outubro de 2014, a instituição era gerida pela Universidade Federal do Paraná, mas depois disso passou para as mãos da Ebserh.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*