Bancada governista quer barrar comissão para investigar Polícia Civil

Sem um acordo entre oposição e situação, a Comissão Especial de Investigação para apurar as irregularidades na Polícia Civil ainda não foi aberta da Assembleia Legislativa do Paraná. O deputado Tadeu Veneri (PT) propôs a abertura de uma CEI para investigar o uso de viaturas descaracterizadas da polícia para uso pessoal e também os supostos desvios de verbas do Fundo Rotativo da Polícia Civil. O parlamentar garante que já tem as 18 assinaturas necessárias para pedir a abertura da comissão, mas como ainda não houve um acordo com o a bancada governista, o processo está parado. A abertura da comissão pode ser derrubada, caso seja submetida à votação em plenário. Nesta semana, o líder do governo na Assembleia, deputado Ademar Traiano, afirmou que o legislativo não deve investigar o caso, porque o próprio governo já tem tomado medidas para corrigir as irregularidades. Ele conversou com Amanda Menezes.

Traiano também disse que é contra a abertura de uma comissão especial para investigar o caso. Na quarta-feira, o Secretário de Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César e o delegado-geral da Polícia Civil Marcos Vinicius Michelotto prestaram depoimento na Comissão de Segurança da Assembleia. No entanto, como eles chegaram 40 minutos atrasados, tiveram apenas 20 minutos para falar e não responderam aos questionamentos dos deputados. Eles informaram que o governo do estado já mudou a forma de distribuição do dinheiro do Fundo Rotativo da Polícia Civil, que serve para custear pequenos gastos das delegacias como manutenções, por exemplo. Segundo recentes denúncias, 27 milhões de reais do fundo foram para delegacias desativadas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*