Bancada paranaense do PMDB em Brasília não demonstra interesse em Ministérios e Rocha Loures pode perder o foro

(Foto: divulgação)

(Foto: divulgação)

Uma possível manobra para manter o foro privilegiado do deputado afastado Rodrigo Rocha Loures deve enfrentar a resistência da bancada federal paranaense do PMDB. São três parlamentares que poderiam deixar o cargo para dar lugar ao suplente Rocha Loures: João Arruda, Sérgio Souza e Hermes Parcianello, conhecido como Frangão. Mas nenhum deles tem demonstrado interesse em assumir as duas vagas disponíveis na Esplanada dos Ministérios nas condições políticas atuais. Uma das vagas é a do Ministério da Transparência (antiga CGU), pasta que foi recusada por Osmar Serraglio (PMDB-PR), depois que ele foi afastado do Ministério da Justiça. Serraglio não se rendeu ao convite e decidiu voltar para a Câmara Federal, tirando Rocha Loures do cargo que ocupava como suplente.

A outra possibilidade seria o Ministério da Cultura, abandonado pelo PPS. Fontes ligadas aos deputados paranaenses na bancada peemedebista dizem que eles não foram procurados formalmente pelo governo de Michel Temer e, por isso, têm evitado comentar a situação. Mas já antecipam que não se prestariam à manobra em meio à crise política provocada pelas delações da JBS. Rocha Loures, investigado depois de ser flagrado em filmagem recebendo R$ 500 mil em propina da JBS, manteria o foro privilegiado desde que estivesse ocupando uma das vagas na Câmara dos Deputados, mesmo que afastado das funções.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*