Banco Central confirma bloqueio de R$100 milhões na 40ª fase da Lava Jato

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Banco Central informou que conseguiu bloquear os 100 milhões de reais alvos de investigação da 40ª fase da operação Lava Jato. Esta etapa, chamada de Asfixia, teve como foco ex-gerentes da Petrobras e representantes de empresas. Foram detidos os ex-executivos da estatal Marcio de Almeida Ferreira e Maurício Guedes de Oliveira. Os agentes públicos – suspeitos de receberem as propinas – trabalhavam na subdivisão de Gás e Energia da Petrobras. Esta é a primeira fase da Lava Jato que mira neste setor da Petrobras. Também foram detidos, sem prazo para deixar a prisão, os empresários Marivaldo do Rosário Escalfoni e Paulo Roberto Gomes Fernandes. O grupo seria o responsável por fraudar dezenas de licitações da Petrobras no período entre 2003 e 2016. O levantamento da força-tarefa Lava Jato coloca sob suspeita 18 contratos da Petrobras – assinados com as empresas Akyzo e Liderroll.

Ao todo, os contratos valiam cinco bilhões de reais (R$ 5 bi). De acordo com o Ministério Público Federal, o ex-gerente da Petrobras, Márcio de Almeida, chegou a usar a Lei de repatriação para lavar o dinheiro. Ele é suspeito de usar a legislação para “esquentar” 48 milhões de reais de propinas. A suspeita de irregularidades na repatriação do recurso partiu da declaração do ex-diretor que passou de 7 milhões de reais para mais de 40 milhões “do dia para a noite”. A retificação na Receita foi feita em 2016, após a sanção pelo governo federal da chamada Lei da Repatriação. Com isso, o MPF não pôde utilizar a transação como prova na ação que determinou a prisão do ex-gerente da estatal. A informação foi anexada posteriormente. De acordo com o MPF, os recursos mantidos no exterior foram trazidos ao Brasil com o argumento de que o dinheiro era proveniente da venda de um imóvel. Três pessoas permanecem presas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*