Bares e restaurantes de Curitiba fazem campanha para redução de impostos de bebidas

A alta carga tributária de vinhos e destilados tem provocado o fechamento de bares e lojas de bebidas em Curitiba. O Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba – o Sindiabrabar, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná, Abrasel – PR e Associação dos Comerciantes Estabelecidos no Mercado Municipal de Curitiba, a Ascesme, estão se articulando para tentar reduzir os impostos sobre esse tipo de produto. Uma das medidas tem sido discutir o assunto com autoridades governamentais. Os impostos estaduais que incidem sobre os vinhos são de 43,03%; para os destilados, a alíquota é de 61,38%.

De acordo com um levantamento feito pelo Sindiabrabar, 70% dos vinhos e destilados consumidos em festas e eventos de Curitiba não têm tributação e procedência garantida. Para o empresário Marcos Almeida, dirigente do sindicato, a situação está insustentável e sobreviver no setor, quase impossível.

Os empresários do setor avaliam que a alta carga tributária está contribuindo com o aumento do contrabando de vinhos e bebidas, em especial do Paraguai, Argentina e de outros estados brasileiros como Santa Catarina, São Paulo e Goiás. Almeida diz que nesses lugares a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços é menor que no Paraná.

No mês passado, os representantes do Sindiabrabar, Abrasel e Ascesme se reuniram com o secretário da Fazenda do Paraná, José Luiz Bovo, para pedir uma redução dos impostos sobre vinhos e destilados. A assessoria de imprensa do secretário informa que a demanda vai ser analisada tecnicamente, mas não tem um prazo para que isso aconteça.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*