Bloqueios diminuem, mas caminhoneiros mantém protestos no Paraná

O Paraná tem nove bloqueios em rodovias federais nesta segunda-feira (02) por protestos de caminhoneiros. O governo federal enviou uma nota neste domingo (1º) à noite afirmando que “diante da liberação de quase todas as rodovias federais brasileiras e a diminuição das manifestações de caminhoneiros, a presidente Dilma Rousseff deve sancionar sem vetos a nova Lei dos Caminhoneiros nesta segunda-feira. A lei garante vantagens como a isenção de pagamento de pedágio para eixo suspenso de caminhões vazios, perdão das multas por excesso de peso expedidas nos últimos dois anos, e ampliação de pontos de parada para descanso e repouso, entre outras novas regras.

Também nesta segunda-feira, o governo afirma que vai tomar as medidas necessárias junto ao Congresso Nacional para permitir a prorrogação por 12 meses das parcelas de financiamentos de caminhões adquiridos pelos programas ProCaminhoneiro e Finame do BNDES. Entre as principais reclamações dos caminhoneiros está o aumento do preço do litro do óleo diesel e o valor pago pelos frentes, considerado baixo.

No Paraná, segundo boletim da PRF, os bloqueios são em:

Coronel Vivida, na BR-376, no km 478

Nova Esperança, na BR-376, no km 163

Barracão, na BR-163, no km 07

Guarapuava, na BR-277, no km 343

Medianeira, na BR-277, no km 667

Paranavaí, na BR-376, no km 112

Chopinzinho, na BR-373, no km 444

Mamboré, na BR-369, no km 487

Corbélia, na BR-369, no km 500

No Porto de Paranaguá, dos 950 caminhões esperados para descarregar hoje (segunda) de manhã, apenas 90 chegara ao terminal. Apesar do número reduzido, hoje (segunda) é o melhor dia desde o início das paralisações de caminhoneiros. Em média, apenas 40 caminhões chegavam ao porto nos últimos dias. Segundo a assessoria do Porto de Paranaguá, 318 caminhões descarregaram ontem (domingo), enquanto 1600 eram esperados. Hoje, 783 caminhões devem chegar se não forem impedidos em pontos de bloqueios. De acordo com a assessoria, até amanhã a carga armazenada deve manter a exportação em dia. Se o número de caminhões não aumentar, é possível que a economia comece e ter perdas mais significativas. 

No Rio Grande do Sul, diminuíram, mas continuam os bloqueios das rodovias federais. Durante a noite, foram registrados dois bloqueios na BR-116, em Camaquã, além de um na BR-392 em São Sepé e outro na BR-157 em Júlio de Castilhos. Em Camaquã, manifestantes atearam fogo a quatro pneus de caminhão empilhados. O caminhoneiro que atropelou o colega no final de semana teve a prisão decretada.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*