Brasileira é barrada na Ponte da Amizade porque não possuía o certificado de vacinação da febre amarela

Uma brasileira foi barrada por não portar o certificado de vacinação contra a febre amarela no posto de migração da aduana da Ponte da Amizade, em Ciudad del Este, na fronteira com Foz do Iguaçu, no oeste do Estado.

A partir de agora, o governo paraguaio exige o documento de todos aqueles que seguem viagem dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia, locais considerados de risco para a contaminação da doença. A brasileira vinha da cidade de Limeira, em São Paulo, e foi impedida de continuar o percurso.

A atitude do governo do Paraguai se baseia em uma resolução do Ministério da Saúde Pública que explicita que nas aduanas de fronteira o porte do documento deve ser demonstrado voluntariamente pelo migrante. De acordo com as autoridades daquele país, para forçar que os viajantes tenham em mãos o certificado de vacinação, a fiscalização será reforçada e estendida às rodoviárias e aeroportos.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*