Centrais sindicais realizam protestos em Curitiba

(Foto: reprodução/Agência Confraria)

Em parte das capitais e outras cidades brasileiras, trabalhadores de diversas categorias, organizados pelas maiores centrais sindicais do país, participam de ato hoje ao logo do chamado Dia do Basta. O tema do protesto é a defesa do Emprego, da Aposentadoria e dos Direitos Trabalhistas. Em Curitiba, metalúrgicos das principais fábricas e montadoras da região abriram a agenda de protestos com ato simultâneo hoje (10) de manhã, organizado pela Força Sindical.

A manifestação, segundo o sindicato, envolveu 20 mil metalúrgicos da Grande Curitiba que participaram de mobilizações em portas de fábricas de empresas como Renault, Volvo, Bosch, Brafer, Furukawa e outras. A iniciativa, aprovada no dia 6 de junho, no Fórum das Centrais, busca sensibilizar as pessoas nos locais de trabalho, mobilizar as bases sindicais e os movimentos sociais em protesto contra o desemprego e a retirada de direitos sociais.

Não há informações sobre bloqueios em rodovias ou serviços paralisados no Paraná. Bancários atrasaram em uma hora a abertura de agências no meio da manhã e parte dos trabalhadores de contraturno de outras categorias fizeram um protesto em frente à Federação das Indústrias do Paraná, em Curitiba. A mobilização nacional, em momentos diferentes do dia, também ocorre em outras cidades do país. Em São Paulo, por exemplo, há manifestação na Avenida Paulista, em frente à Fiesp.

O Ato começou às 10 horas da manhã. Em Salvador, quinhentas pessoas, segundo os organizadores, participam de uma caminhada no Centro Histórico. Algumas agências bancárias atrasaram a abertura em uma hora. Parte da rede estadual de ensino da Bahia está parada. Na Paraíba, a Polícia Rodoviária informou que há dois pontos de bloqueio em estradas federais, em Alhandra, Região Metropolitana de João Pessoa, em Pedras de Fogo, divisa com Pernambuco. Os dois protestos são promovidos pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

Além das questões relacionadas diretamente ao trabalho, previdência e a crítica à crise econômica, sindicatos defendem a liberdade e direito do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em concorrer às eleições como candidato à Presidência da República. Lula está preso em Curitiba desde o dia 7 de abril, condenado na Operação Lava Jato, no caso tríplex. Os atos são organizados pela CUT, CTB, Força Sindical, UGT, Nova Central, CSB, Intersindical e Conlutas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*