Combustível chega a nível crítico em Curitiba: apenas 17 postos têm etanol e gasolina

Apenas 17 postos de combustíveis de Curitiba têm etanol e gasolina. O número é equivalente a só 5% do total de 340 estabelecimentos da capital paranaense. No Paraná, 90% de todos os postos não tem mais combustível. Desde ontem, cidades como Londrina, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Ponta Grossa e Cascavel estão com os estoques esgotados. O litoral do estado também não conta com gasolina e etanol.

A estimativa foi divulgada na tarde de sexta-feira (25) pelo Sindicombustíveis. O comunicado informa que o diesel tem estoques maiores, principalmente em postos que ficam em rodovias. No posto de combustíveis que fica ao lado da Repar, em Araucária, a tarde foi de tensão. Uma fila de 380 carros aguardava para abastecer, mas o estoque era limitado a 180 veículos. A camareira Karina da Silva chegou às 11h da manhã para abastecer a moto. A espera na fila chegou a quatro horas.

O caminhoneiro Diego Elias também está com o caminhão encostado por causa da manifestação, mas decidiu enfrentar a espera para abastecer a moto.

Uma motorista que não quis se identificar protestou ao chegar à bomba de combustível. Ela relata que, durante toda a tarde, manifestantes furaram a fila enquanto quem não faz parte do movimento precisou aguardar.

A chamada “preferência” aos manifestantes, principalmente motociclistas que chegaram ao posto durante a tarde, foi confirmada pelo gerente do posto, que não quis gravar entrevistas. A reportagem da Bandnews esteve no estabelecimento e percebeu que as motos que chegavam não ficavam na fila, mas eram abastecidas de forma intercalada aos carros que aguardavam. O motorista do Uber Diego Mesquita, que faz parte do movimento, nega que os manifestantes estejam sendo favorecidos no abastecimento.

Um representante dos motociclistas, que não quis gravar entrevista, disse que as motos com preferência são as que fazem o resgate de caminhões que tentam furar o bloqueio dos caminhoneiros. O manifestante contou que os motoboys precisam fazer uma espécie de cadastro e que passam por chamada em todo início de turno para ter direito ao combustível. Diego Mesquita analisa que a decisão do presidente Michel Temer em convocar intervenção federal para restabelecer a circulação de caminhões e o abastecimento não vai surtir efeito nas manifestações.

Hoje à tarde, um caminhão foi escoltado pela PM e acompanhado por motociclistas até o posto de destino. Até agora, não houve registro de que o movimento dos caminhoneiros tenha se desmobilizado em algum ponto do Paraná.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*