Consumo de drogas é a ocorrência mais comum nas praças de Curitiba

(Foto: reprodução/Google Street View)

(Foto: reprodução/Google Street View)

O consumo de drogas é a ocorrência mais comum nas praças de Curitiba. Casos de roubo e perturbação do sossego aparecem logo em seguida. O balanço é da Guarda Municipal da cidade e revela, ainda, que a praça General Osório, no Centro, é o local onde está concentrado o maior número de atendimentos da guarda.

O uso de drogas responde por 40% dos atendimentos realizados pela GM. O levantamento da prefeitura, mostra que, de janeiro a abril de 2017, foram 205 situações atendidas – uma média superior a 51 casos ao mês. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o aumento nas ocorrências é de 280%.

A administração municipal diz que, na verdade, neste ano o número de atendimentos está maior, e não o de crimes. É a afirmação do secretário de Defesa Social, Algacir Mikalovski.

A Praça General Osório responde por 27% do total de atendimentos, seguida pelas praças Carlos Gomes e da Espanha, ambas com 20% cada. Na semana passada, o governador determinou a presença de um módulo móvel 24 horas por dia na Praça da Espanha, após uma notificação do Ministério Público do Paraná, entregue à prefeitura, para que a segurança fosse reforçada no local.

O secretário garante que a Guarda Municipal mantém diálogo frequente com a Polícia Militar, para tentar amenizar os índices de criminalidade.

Completam o ranking de praças mais perigosas as praças Eufrásio Corrêia, com 16% dos casos atendidos, e do Japão, com 7% do total de crimes registrados pela Guarda Municipal.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*