Contrato para modernização da PR-323 vai ser rescindido pelo Governo do Estado

Foto: Orlando Kissner/ANPr

Foto: Orlando Kissner/ANPr

O contrato de Parceria Público-Privada (PPP) para a modernização da rodovia PR-323, entre Maringá e Francisco Alves, noroeste do Paraná, vai ser rescindido pelo Governo do Estado. O motivo do cancelamento é que a empresa líder do consórcio que venceu a licitação – a Odebrecht – tem pendências judiciais e enfrenta dificuldades em outras instâncias. O anúncio da rescisão do contrato, que na época foi formalizado entre o DER (Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná) e o consórcio, foi feito na tarde de ontem (quarta-feira, 24) pelo Governador Beto Richa, que garantiu que o Estado vai continuar as obras de revitalização da rodovia, mesmo que seja com recursos próprios.

De acordo com o diretor do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná, Nelson Leal, cerca de trinta municípios paranaenses estão localizados neste trecho. Ele ainda ressalta que a PR-323 tem tráfego intenso e que a continuação das obras da rodovia é essencial.

Segundo o Governo, muitos entraves precisam ser vencidos para encerrar o contrato. O procurador-geral do Estado, Paulo Rosso, trabalha para realizar a rescisão do acordo.

Há cinco anos, o estado vem realizando obras na PR-323. Entre as revitalizações feitas na rodovia, estão: a construção de trincheira no trevo do Cedro em Perobal e a duplicação de quatro quilômetros entre Maringá e Paiçandu. As obras ligadas a licitação vencida pela Odebrecht são emergenciais, como: restauração, reparo, duplicação e correção de estragos provocados por fortes chuvas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*