Copel garante indicação de diretor no comando da Sercomtel

O juiz Emil Gonçalves, da Segunda vara da Fazenda Pública de Londrina, deu hoje sentença favorável à Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel), sócia da Sercomtel telefônica com 45% das ações, que ajuizou medida cautelar para cancelar a exoneração do diretor administrativo-financeiro da Sercomtel, Claudemir Molina. A exoneração de Claudemir Molina foi aprovada pelo Conselho de Administração da Sercomtel no último dia 21. Na liminar, o juiz determina a suspensão das atas que exoneraram o diretor – indicado pela Copel em consenso com o Município. A Copel entende que o Município violou o acordo de acionistas, abusando do direito que Londrina tem na administração da Sercomtel. A companhia paranaense também cita a investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) sobre possível compra de apoio de vereadores que levou à prisão o ex-diretor de Participações da Sercomtel Alysson Tobias de Carvalho (ainda detido) e ao afastamento do então presidente da telefônica Roberto Coutinho Mendes. Em 30 dias, a Copel deve mover a chamada ação principal, pedindo que Claudemir Molina seja reintegrado ao cargo. A assessoria de imprensa da Sercomtel disse que não irá se manifestar sobre a disputa que estaria ocorrendo entre os sócios. A Prefeitura de Londrina também informou, através da comunicação social, que não irá falar sobre a ação até o julgamento judicial.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*