Cunha é transferido para Brasília para ser interrogado

O deputado cassado Eduardo Cunha, do PMDB, preso desde outubro (19), foi levado nesta sexta-feira (15) de Curitiba para Brasília, em avião da Polícia Federal. Ele foi transferido temporariamente para ser interrogado na sexta-feira da semana que vem (22) pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10.ª Vara Federal do Distrito Federal. Cunha é réu em uma ação penal por suposto envolvimento em irregularidades na liberação de valores do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS).

Para determinar a transferência, o juiz  Vallisney de Souza consultou antes o juiz da 13.ª Vara Federal do Paraná, Sérgio Moro, responsável por outro processo que tramitou em Curitiba. Na ação penal, Cunha foi condenado em primeira instância, em março, a 15 anos e 4 meses de prisão, por crimes de corrupção, lavagem e evasão fraudulenta de divisas. O processo apurou um esquema de pagamentos de propinas no contrato da Petrobras para a compra do campo petrolífero de Benin, na África, em 2011. Moro concordou com a remoção temporária de Cunha para a audiência, mas foi contra o pedido da defesa de transferência definitiva do ex-deputado para Brasília.

Acompanhando a recomendação de Moro, o juiz Vallisney de Souza autorizou Cunha a permanecer na capital federal, na Penitenciária da Papuda, de segunda-feira, dia 18, até 26 deste mês. O juiz atende a um pedido dos advogados para que o ex-deputado fique ao menos dez dias em Brasília para que possa se preparar para o interrogatório. A remoção, no entanto, ocorreu três dias antes.

O ex-presidente da Câmara dos Deputados foi transferido na mesma aeronave que levou, horas antes, o empresário Joesley Batista de Brasília para São Paulo.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*