Danny Glover e Dilma visitam Lula na Superintendência da PF

Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Depois de visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Polícia Federal, o ator norte-americano Danny Glover disse que vai repassar informações a líderes internacionais para ‘restabelecer a democracia no Brasil’. Junto com a ex-presidente Dilma Rousseff, o ator e ativista, embaixador da ONU para os direitos humanos e assuntos raciais, visitou Lula ontem (31).

No Brasil desde o início da semana, Glover disse que nesse período colheu informações necessárias para repassar a líderes internacionais, em defesa de Lula.

Sobre a visita em si, o ator disse que gostaria de ter passado mais tempo com Lula. Mas que pôde perceber que o ex-presidente está bem.

Antes de vir a Curitiba, o ator consagrado pelo filme Máquina Mortífera passou por Rio de Janeiro e São Paulo. Na quarta e quinta-feira Glover acompanhou a vigília diária realizada por centenas de simpatizantes.

Logo depois da saída de Glover, a ex-presidente Dilma Rousseff, que também esteve na PF, voltou a dizer que o ex-presidente é o único candidato do PT à Presidência da República.

Ela disse que discutiu com Lula a situação do país, especialmente sobre a atual política de reajustes de preços de combustíveis da Petrobras. A petista aproveitou para discorrer sobre o assunto com os jornalistas.

Dilma citou exemplos, como conflitos entre Estados Unidos e Irã e sanções à Venezuela, para mostrar como o preço do petróleo ocila internacionalmente. Para a petista, internacionalizar o preço do pretróleo brasileiro beneficia apenas investidores e empresas internacionais.

Sobre a pré-candidatura dela ao Senado pelo PT de Minas Gerais, Dilma disse que preferia não comentar. Ela se recusou a responder perguntas sobre aliança do PT com o MDB em alguns estados.

Depois de falarem com a imprensa, Dilma e Danny Glover participaram de atos ontem (31) no fim da tarde na região do Santa Cândida.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*