Defesa de Lula tem 48 horas para apresentar recibos de aluguel do apartamento vizinho ao que o petista mora

Foto: Divulgação / site Lula.com – arquivo

O juiz Sérgio Moro deu prazo de 48 horas para que a defesa do ex-presidente Lula apresente os recibos originais referentes a pagamentos do aluguel do apartamento vizinho ao que o petista mora, em São Bernardo do Campo (SP), e que é alvo de ação penal na Lava Jato.

Em despacho de hoje, Moro negou o pedido da defesa para que os documentos fossem apresentados em audiência formal com a presença de um perito. O juiz reafirmou que os recibos devem ser entregues na secretaria da 13ª Vara Federal de Curitiba e que vai avaliar posteriormente a necessidade de uma perícia dos comprovantes.

No despacho o juiz ainda disse que “a defesa tem a posse dos recibos e pode extrair cópias antes de entregá-los, o que já é medida suficiente para prevenir qualquer chance de adulteração”. A propriedade do apartamento faz parte da denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal, que acusa o petista de receber propina da Odebrecht.

Para os procuradores, Lula não pagou aluguéis pelo uso do imóvel, que teria sido adquirido com dinheiro da empreiteira. Os advogados do ex-presidente negam as acusações. A defesa do petista apresentou à Justiça 31 recibos com datas entre 2011 e 2015 e que comprovam que família de Lula paga os aluguéis regularmente.

Os procuradores do MPF, por sua vez, contestam a origem dos documentos e ingressaram com um procedimento chamado “incidente de falsidade documental”, em que afirmam que os comprovantes são ideologicamente falsos.

Por meio de nota, a defesa de Lula se manifestou afirmado que viu com surpresa o fato de o juiz Sérgio Moro não aceitar a realização de uma audiência para a entrega das vias originais dos recibos. Os advogados informam que assim que forem intimados irão fazer a entrega dos comprovantes no prazo assinalado e com as cautelas cabíveis.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*