Defesa de Lula tenta adiar interrogatório desta quarta-feira (10)

A defesa do ex-presidente Lula entra com um habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 4ª Região para adiar o interrogatório marcado para quarta-feira (10).

Segundo os advogados, o depoimento precisa ser adiado para que seja possível analisar uma série de documentos enviados pela Petrobras. O argumento da defesa é de que estas provas foram solicitadas pela primeira vez em outubro do ano passado – mas só foram anexadas ao processo entre os dias 28 de abril e dois de maio.

São mais de cinco mil documentos técnicos e jurídicos, que resultam em aproximadamente 100 mil páginas. A defesa alega que é impossível analisar todas as provas até a quarta-feira (10). Cabe ao TRF4 – segunda instância do Poder Judiciário – decidir sobre o pedido de Luiz Inácio Lula da Silva. Para sustentar o pedido, a defesa ainda argumenta que o juiz Sérgio Moro negou o pedido de prazo adicional da defesa, contrariando uma decisão anterior.

A própria Petrobras foi quem assumiu o compromisso de disponibilizar todos os documentos solicitados pelo petista. Por entender que se trata de uma “disparidade de armas”, e que a manutenção dos prazos traz prejuízos para a defesa, os advogados pedem a suspensão do processo e um “prazo razoável” para análise dos documentos.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*