Defesa de Palocci tem até quarta-feira (14) para protocolar alegações finais ao processo

(Foto: Divulgação / Agência Brasil)

A defesa do ex-ministro Antônio Palocci e dos outros 14 réus da ação penal relacionada a trigésima quinta fase da lava jato, batizada de Omertá, tem até quarta-feira (14) para protocolar as alegações finais ao processo. Depois disso, o juiz Sérgio Moro pode proferir a sentença. Além de Palocci, também são réus o ex-assessor dele, Branislav Kontic; o ex-tesoureiro do PT, João Vacari Neto; o ex- executivo Marcelo Odebrech e o ex-diretor da Petrobrás, Renato Duque.

Em alegações finais, o Ministério Público Federal já reforçou o pedido de condenação dos acusados. No documento, os procuradores ainda pediram que seja devolvido à Petrobras pouco mais de 32 milhões de reais, valor correspondente ao prejuízo causado a estatal.

Esta etapa apura se Palocci recebeu propina para atuar em favor da Odebrecht entre os anos de 2006 a 2013. A denúncia está relacionada à obtenção, pela empreiteira, de contratos de afretamento de sondas com a Petrobras. De acordo com os investigadores, os repasses feitos ao ex-ministro teriam passado de R$ 128 milhões.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*