Efetivo de São José dos Pinhais tem a primeira Guarda Municipal transgênero do Paraná

Guarda Municipal Menna. Era assim que a Valkyria Cristina Menna Barreto era chamada pelos colegas de trabalho até o começo do ano: pelo sobrenome, como é comum entre os homens da corporação. Valkyria nasceu homem, mas nunca se reconheceu como um. Ela é a primeira Guarda Municipal transgênero do Paraná.

Transgênero é a pessoa que se identifica com um gênero diferente daquele que nasceu. Valkyria é casada com uma mulher e mãe de duas filhas, uma de cinco e outra de 11 anos. Há quatro anos ela resolveu assumir para a família que, embora estivesse no corpo de um homem, sempre se sentiu uma mulher.

O pedido para a mudança de nome na corporação foi feito no início do ano. Valkyria explica que o processo foi burocrático, mas rápido. E que o apoio dos superiores e dos colegas de trabalho foi fundamental para essa transição.

Ela iniciou o tratamento hormonal há um ano e cinco meses. As mudanças no corpo, como o crescimento dos seios e a diminuição dos pelos já começaram a aparecer. Mas a principal mudança que ela comemora é a de ser reconhecida por quem, de fato, ela é.

Valkyria não é a primeira Guarda Trans do Brasil. Outros casos de profissionais que tiveram o direito de usar o nome social reconhecido foram registrados no Rio de Janeiro e São Paulo, além de outros estados do país.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*