Entre os réus do mensalão, 2 são paranaenses

Começa amanhã no Supremo Tribunal Federal a análise do processo do mensalão, em que políticos são acusados de receber propina para votar a favor de projetos de interesse do governo. Três paranaenses são acusados de envolvimento no esquema.  Dois configuram como réus no processo, o ex-deputado federal José Borba e o ex-primeiro-secretário nacional do PTB Emerson Palmieri. O ex-deputado José Janene (PP) é acusado   de receber  R$ 3 milhões  do publicitário Marcos Valério, naquele esquema que foi chamado  de valerioduto. Segundo a Procuradoria-Geral da República, ele seria peça-chave na captação de propina em troca de apoio político no Congresso, mas não configura como réu porque morreu em 2010.  Emerson Palmieri  é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Teria recebido, junto com o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), R$ 4 milhões de Marcos Valério. José Borba, que é prefeito de Jandaia do Sul, na época do mensalão era líder do PMDB na Câmara dos Deputados. Ele é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Teria recebido pelo menos R$ 200 mil em dinheiro vivo de Marcos Valério em troca de apoio político em votações de interesse do governo. Mas os valores recebidos por ele podem chegar a dois milhões de reais.  Em 2005 Borba renunciou ao mandato de deputado em para escapar da cassação. E agora, por conta da lei da Ficha Limpa, está inelegível até 2015. Vamos aguardar os próximos capítulos do julgamento do mensalão.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*