Envolvidos no Caso Derosso podem ter que devolver R$ 2,5 mi ao erário

O ex-presidente da Câmara, João Claudio Derosso, o ex-vereador Eden Abib, e o servidor João Leal de Matos podem ser obrigados a devolver 2 milhões e 500 mil reais aos cofres públicos. O Ministério Público entrou com uma ação nesta terça-feira, por ato de improbidade administrativa contra os envolvidos. O MP pediu ainda que seja decretada a indisponibilidade de bens do grupo. A Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público de Curitiba quer que a Justiça obrigue a devolução dos recursos públicos, que teriam sido gastos no pagamento de salários a funcionários fantasmas do legislativo. De acordo com os promotores, as investigações apontaram acúmulo de cargos de servidores na Assembleia Legislativa e na Câmara Municipal.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*