Escritório de advocacia em Curitiba deixa defesa de Eduardo Cunha

Foto: Divulgação / Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Foto: Divulgação / Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O escritório do advogado Marlus Arns de Oliveira deixou a defesa do ex-deputado federal Eduardo Cunha. A decisão foi anunciada na tarde desta quinta-feira (18), um dia depois das revelações de que Cunha teria recebido propina para não fechar acordo de delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato. O motivo da saída não foi divulgado oficialmente. A equipe do escritório, no entanto, estaria descontente com o cliente há algum tempo. Um dos fatores que teriam pesado na decisão seria a suspeita de que Cunha continuava recebendo recursos ilícitos mesmo preso. O criminalista, no entanto, continua na defesa de nove investigados da operação, entre eles a esposa de Cunha, a jornalista Claudia Cruz. Em primeira instância, ela responde pelos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Claudia Cruz é apontada pelo Ministério Público Federal como beneficiária das contas atribuídas ao ex-presidente da Câmara no exterior. O advogado de Claudia Cruz alega que ela desconhecia a origem dos recursos. Permanecem na defesa de Cunha os advogados Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso, de Brasília.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*