“Eu prefiro a morte a passar pela história como mentiroso”, diz Lula

Foto: Paraná Portal

Cerca de duas mil pessoas, segundo a Polícia Militar, e sete mil, segundo a direção do Partido dos Trabalhadores, participaram nesta quarta-feira (13) do ato chamado Segunda Jornada de Lutas pela Democracia, em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Curitiba. O partido e as frentes de movimentos sociais empregaram esforço menor para mobilizar manifestantes no segundo depoimento presencial de Lula ao juiz Sérgio Moro.

As caravanas de movimentos, como o MST, vieram na maioria do Interior do Paraná. A Polícia Rodoviária Federal contabilizou 61 ônibus de manifestantes. Apesar disso, o número de participantes do ato surpreendeu, já que parte dos movimentos se organizou por conta própria, inclusive com caravanas de outros estados.

O MST, que não era esperado na sede da Justiça Federal, compareceu, com pelo menos mil membros, para recepcionar Lula por volta da uma e meia da tarde. Depois disso, o grupo se uniu aos demais manifestantes, durante quatro horas, na Praça Generoso Marques, no centro da capital paranaense, para aguardar a chegada do ex-presidente após o depoimento. Lula chegou ao ato por volta das sete horas da noite, depois de passar por um hotel. Em clima de campanha presidencial, Lula garantiu que vai poder voltar a se candidatar.

O ex-presidente discursou para um público formado por movimentos sociais ligados ao PT e lideranças políticas. No meio do discurso, um helicóptero particular, que teria sido providenciado pelo Movimento Lava Togas, sobrevoou os manifestantes com mensagens de apoio à Lava Jato projetadas com luzes nas hélices. A Polícia Militar, que também manteve um helicóptero sobrevoando o ato na praça, apenas informou que a outra aeronave era civil e que não sabia a quem pertencia.

As mensagens do helicóptero particular diziam coisas como “a Lei é Para Todos” e “Parabéns à Polícia, Ministério Público e Justiça Federal”. Neste momento, Lula disse que quando foi presidente cometeu um erro “imperdoável para a elite brasileira”, ao comentar avanços sociais.

Em um discurso repetitivo, Lula também falou que o Ministério Público Federal ainda “não apresentou nenhuma prova” contra ele e reafirmou que espera “que os procuradores da Lava Jato admitam que mentiram”. O petista disse que prefere morrer do que entrar para a história como mentiroso.

Após falar por 20 minutos, Lula foi embora e o ato foi encerrado, por volta das sete e meia da noite. A PM não registrou nenhuma ocorrência durante os atos em apoio a Lula e considerou um sucesso a operação que mobilizou cerca de mil policiais.

Comments

  1. Humberto Leme says:

    Não consigo entender como pode existir ser humano tão irracional como estes petistas, que não conseguem enxergar nem mesmo desenhando . Penso que nem que o próprio Lularapio confessar ele ainda vão achar que foi sobre pressão pois ele e inocente

  2. Mario Preve says:

    Muito coerente na sua defensa Lula, novamente botou no bolso as acusações e a miríade de preguntas diferentes ao caso que foram apresentadas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*