Evangélico cobra repasses atrasados da Prefeitura

Em grave crise financeira e sob intervenção judicial desde 2014, o Hospital Evangélico, em Curitiba, cobra da Prefeitura um repasse de 2 milhões e 160 mil reais que, segundo a instituição, deveria ter sido pago até o dia 20 de janeiro.

Sem o dinheiro, a direção do hospital afirma que tem sido obrigada a rolar dívidas com fornecedores e médicos para seguir aberto. O hospital atende até 30 mil pacientes por mês. A verba não recebida é referente aos meses de novembro e dezembro do ano passado.

Para o Evangélico, a verba deveria ter sido repassada pela Secretaria Municipal de Saúde, mas a prefeitura, procurada pelo Metro Jornal, afirma que os recursos são relativos ao Fundo de Ações Estratégica e Compensação, que são quitados após repasse do Ministério da Saúde.

A Secretaria diz que ainda não recebeu do governo federal. Em nota, a prefeitura afirma que “assim que forem creditados ao município, os valores serão repassados ao prestador”. Em janeiro, a Secretaria Municipal da Saúde afirma que repassou à instituição oito milhões e quinhentos mil reais, em relação aos serviços previstos em contrato.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*