Ex-diretor da Odebrecht deve devolver R$ 5 milhões aos cofres públicos

Como parte do acordo de delação premiada, o ex-diretor da Odebrecht, Fernando Migliaccio, deve devolver R$ 5 milhões aos cofres públicos. Além disso, outros bens também devem ser entregues entre eles estão oito quilos de ouro, um imóvel em Miami e as contas bancárias também em Miami e em Genebra. O acordo foi firmado com os investigadores da Lava Jato há um ano e era mantido em sigilo pelo Supremo Tribunal Federal, mas foi liberado pelo ministro Edson Fachin nesta-terça-feira (16).

 Os depoimentos foram prestados em julho e outubro do ano passado. O montante determinado pela Justiça deverá ser pago a título de multa até o fim deste ano. Pelo menos R$ 3 milhões devem ser entregues em até um mês depois da homologação do acordo.

Fernando Migliaccio trabalhava no setor de Operações Estruturadas da Odebrecht e foi preso em maio do ano passado em Berna, na Suíça. Ele teve a prisão decretada na vigésima terceira fase da Operação Lava Jato.

De acordo com as investigações, existem evidências de que o ex-executivo gerenciava as contas bancárias da Odebrecht no exterior para pagar propinas a autoridades brasileiras e de outros países.

Ele seria subordinado ao ex-presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht, e controlava as contas escondidas fora do País em nome de empresas offshores.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*