Ex-executivos da OAS negociam acordo de colaboração com a Lava Jato

Ex-diretor da OAS. Foto: Reprodução/YouTube

Ex-diretor da OAS, Roberto Ferreira. Foto: Reprodução/YouTube

O ex-diretor da empreiteira OAS Roberto Ferreira disse em depoimento ao Juiz Sérgio Moro que o apartamento Triplex, no litoral paulista, estava reservado para o ex-presidente Lula e a esposa, Marisa Letícia. Ferreira é réu na ação penal que acusa o petista de ser o real beneficiário da cobertura no Guarujá. O apartamento teria sido reformado pela construtora OAS. Durante a audiência, o ex-executivo informou que acompanhou uma visita ao apartamento em que estavam presentes o ex-presidente Lula e o ex-presidente da empreiteira Léo Pinheiro.

 

O ex-diretor da OAS também esclareceu que uma equipe da empresa apresentou um projeto para modificar áreas do apartamento. De acordo com Ferreira, o pedido do projeto foi feito por Fábio Younamine, ex-presidente da OAS Investimentos. Entre as alterações, estavam a reforma de uma escada, a inclusão de um quarto na parte inferior do imóvel, colocação de piso no apartamento, reparo na piscina, adequação de um deck e a instalação de uma churrasqueira. Roberto Ferreira disse que o valor da reforma foi de pelo menos um milhão e meio de reais e reafirmou que o imóvel nunca foi colocado à venda para o público.

O ex-diretor da OAS disse que nunca teve contato com o ex-presidente Lula, nem com Marisa Letícia. Ele informou que toda a negociação era intermediada por Fábio Yonamine. A denúncia do Ministério Público Federal sustenta que Lula recebeu três milhões e setecentos mil reais em benefício próprio – de um valor de 87 milhões de corrupção – da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012.

 

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*