Ex-prefeito de Piên passa primeiro final de semana em casa com tornozeleira eletrônica

Foto: divulgação / Polícia Civil do Paraná – arquivo

 

O ex-prefeito de Piên, Gilberto Dranka (PSD), passou o primeiro final de semana em liberdade, depois de ficar pouco mais de um ano preso na Casa de Custódia de São José dos Pinhais, na garnde Curitiba. Dranka utiliza uma tornozeleira eletrônica e já está em sua residência em Piên, no sudeste do Estado. Dranka é acusado de envolvimento na morte do prefeito eleito de Piên, Loir Dreveck, em dezembro de 2016.

Na última quinta-feira (08), a Justiça do Paraná concedeu liberdade provisória a Dranka depois do julgamento de um pedido de relaxamento de prisão feito pelos advogados do ex-prefeito e do ex-presidente da Câmara, Leonides Mahs, que também teve a liberdade provisória concedida. Os dois são réus no processo. A Justiça ainda negou pedido da defesa para que o júri popular fosse anulado. Porém, a data do julgamento ainda não foi definida.

De acordo com as investigações, Gilberto Dranka e Leonir Mahs, teriam contratado um matador de aluguel para executar o prefeito eleito Loir Dreveck. De acordo com a Polícia Civil, o motivo do crime seriam divergências entre o prefeito eleito e Dranka. Os dois pertenciam a mesma chapa durante as eleições de 2016. Depois que Dreveck venceu o pleito, ele teria se recusado a favorecer Dranka dentro da Prefeitura.

O homem contratado para fazer o assassinato foi Amilton Padilha, de 29 anos. Loir foi baleado na cabeça no dia 17 de dezembro de 2016 e morreu três dias depois, antes de tomar posse no cargo. Dreveck viajava para o litoral de Santa Catarina com um carro da Prefeitura, junto com a família, e o carro dele foi atingido por Amilton, que passava de moto.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*