Ex-secretário de Araucária afirma que trabalhou em acúmulo de função e critica bloqueio de bens

 

Arte / TJPR

O ex-secretário de saúde, Haroldo Rodrigues Ferreira, que teve 359 mil bloqueados pela Justiça, afirma que não via nada de errado em acumular três funções como médico junto com a de secretário municipal de Araucária, na região metropolitana. Haroldo, que é filiado ao PDT, teve bens bloqueados junto com o ex-prefeito de Araucária, Albanor José Ferreira Gomes, do PSDB. Uma decisão liminar do Tribunal de Justiça do Paraná do dia 30 de janeiro aponta que entre os anos de 2009 e 2012, com anuência do prefeito, o ex-secretário acumulou ilegalmente ao menos três funções de médico em Curitiba.

A postura desrespeita a exigência da dedicação exclusiva para o exercício do cargo de secretário municipal. O valor determinado no bloqueio diz respeito ao suposto prejuízo causado ao município. Haroldo Ferreira argumenta que trabalhou nas funções e que a acusação de prejuízo não se sustenta.

Haroldo Ferreira afirma que a denúncia tem um fundo político e que visava atingir o ex-prefeito de Araucária. Ele reforça que em nenhum momento houve desvio de recurso.

De acordo com o Ministério Público do Paraná, que entrou com a ação civil pública, o ex-secretário foi nomeado em 2 de janeiro de 2009, mas permaneceu desempenhando outras atividades durante o período. Segundo a promotoria, para assumir um dos cargos em 2012, o médico assinou declaração de não cumulação de funções, omitindo o exercício do cargo de secretário municipal em Araucária. Haroldo confirma a assinatura, mas diz que estava em um plantão e que não prestou atenção no conteúdo do documento. Ele ainda não foi notificado e afirma que vai recorrer da decisão.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*