Exército reforça fiscalização na tríplice fronteira

Foto: Kiko Sierich

Foto: Kiko Sierich

Os 380 quilômetros de fronteira do Paraná com o Paraguai e a Argentina começaram a ter um patrulhamento maior desde hoje (quarta) de manhã. É a nona fase da Operação Ágata, um trabalho desenvolvido em todo o país para combater crimes como tráfico de drogas, armas e contrabando. No Paraná, as barreiras do Exército foram montadas entre Barracão e Guaíra, nas divisas com Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. De acordo com o delegado Rafael Dolzan, da Receita Federal, a tríplice fronteira é a mais movimentada do país, e a que mais precisa de um patrulhamento mais ostensivo.

As barreiras de fiscalização foram montadas nas pontes da Amizade, com o Paraguai; e Tancredo Neves, com a Argentina; nas cidades de Foz do Iguaçu, Guaíra, Barracão, Santo Antônio do Sudoeste e no pedágio de São Miguel do Iguaçu. Ainda na região oeste, a Receita e a Polícia Federal fazem ainda outra operação de controle.

São usadas viaturas com 200 policiais, tanques do Exército, 14 embarcações no Rio Paraná e no Lago de Itaipu, e um helicóptero vindo do Rio Grande do Sul. Os trabalhos da Operação Ágata estão sendo acompanhados, ainda, por observadores militares da América do Sul, Europa e Estados Unidos.

Além da fronteira paranaense, a Operação Ágata é realizada também nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Não há previsão para término dos trabalhos.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*