Ezequias Moreira pede exoneração à governadora Cida Borghetti

O secretário especial de Cerimonial e Relações Exteriores, Ezequias Moreira, ligado ao ex-governador Beto Richa, do PSDB, entregou ontem pedido de exoneração à governadora Cida Borghetti, do PP. O documento foi entregue em mãos, no Palácio Iguaçu. De acordo com a Agência de Notícias do governo do Estado, Ezequias Moreira agradeceu a confiança da governadora durante o período em que esteve à frente da pasta.

Moreira foi citado em interrogatório pelo delator Eduardo Lopes de Souza, dono da construtora Valor, preso na Operação Quadro Negro, que investiga desvios de 20 milhões da construção e reforma de escolas estaduais. No interrogatório, o delator disse que Ezequias Moreira participou da arrecadação de dinheiro para a campanha de reeleição de Beto Richa. O tucano nega e diz que foi o governo que deu início às investigações da Quadro Negro.

A função ocupada por Ezequias foi criada em 2013, pelo então governador. Ele assumiu o cargo em um momento em que respondia ação criminal por recebimento de recursos da Assembleia Legislativa, na ocasião em que trabalhava no gabinete de Richa quando era deputado estadual em 2007, no caso conhecido como da “sogra fantasma”.

Ezequias recolhia mensalmente na Assembleia o salário da mãe da esposa dele – que admitiu nunca ter trabalhado lá. Ele já devolveu o dinheiro que admitiu ter recolhido ilegalmente, cerca de 500 mil reais. Foi condenado na ação criminal, mas a pena prescreveu. Depois disso, era mantido no cargo do Cerimonial até agora, o que lhe conferia foro especial.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*