Família do piloto que atropelou três pessoas no Batel se pronuncia sobre acidente

(Foto: Ana Flávia/BandNews Curitiba)

A família materna do motociclista Leonardo Magalhães Fonseca, que atropelou três pessoas no último sábado, no Batel, se manifestou pela primeira vez. Por meio de uma nota, divulgada pelo escritório de advocacia Elias Mattar Assad e associados, a família afirma que “não nega a gravidade do fato, lamenta o ocorrido e fará tudo o que for possível para minimizar as consequências em relação às vítimas”.

O texto destaca ainda que Fonseca permanece internado e a mãe dele não tem condições psicológicas de conceder entrevistas à imprensa. O motoqueiro, de 22 anos, está no Hospital Marcelino Champagnat. O último boletim médico divulgado pela instituição informa que ele está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sem previsão de alta. Ele atropelou três pessoas no último sábado, na Avenida do Batel. Duas delas ficaram gravemente feridas e também permanecem internadas em UTIs.

Elas são primas, uma mulher de 38 anos e uma menina de 8. A terceira vítima, uma senhora de 88 anos, teve ferimentos leves e recebeu alta no fim de semana. A juíza Lilian Resende Castanho Schelbauer, do Plantão Judiciário de Curitiba, determinou que Leonardo Fonseca passe a ser monitorado por tornozeleira eletrônica. Segundo a Polícia Civil, ele deve responder pelos crimes de exibição e malabarismo de veículo automotor em via pública. Ele estava com a Carteira de Habilitação Suspensa desde 2016 pelo mesmo motivo: exibição em ruas da cidade.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*