Família procura paciente que fugiu de UPA de Curitiba

Foto:Cesar Brustolin/SMCS

A família do homem de 40 anos que fugiu da UPA, a Unidade de Pronto Atendimento, do bairro Campo Comprido, em Curitiba, ainda não tem pistas do paradeiro dele. Ele está desaparecido desde o início da manhã do último domingo (28), quando pulou uma janela da unidade enquanto recebia atendimento médico. Segundo familiares, o homem sofre de transtorno afetivo bipolar, está sem medicação e pode se tornar agressivo. João Henrique Inácio dos Santos, primo do paciente, conta que a Secretaria Municipal de Saúde procurou a família para pedir desculpas.

A Guarda Municipal de Curitiba faz buscas desde domingo e a família tem recebido informações de possíveis paradeiros do homem, mas ele segue desaparecido. O paciente é casado, tem filhos e mora em Joinville, mas fugiu da cidade há pouco mais de uma semana e veio para Curitiba. Aqui, ele ficou hospedado em um hotel, mas foi encaminhado à UPA após uma crise devido à falta de medicação.

A queixa dos familiares é a de que faltou segurança em torno do paciente e também para as outras pessoas que poderiam ter sido vítimas dele na UPA. Os parentes alegam ter sugerido até que ele fosse amarrado, mas que a equipe que prestava atendimento descartou essa possibilidade e deu apenas um calmante ao homem.

Por meio da assessoria de imprensa, a Prefeitura de Curitiba confirma o atendimento ao paciente na UPA do Campo Comprido via Samu. Em nota, a informação repassada pela Administração Municipal é a de que, na unidade, o paciente foi prontamente atendido e medicado, e que a família foi localizada e comunicada da situação. Ocorre que “antes de receber alta, o paciente pulou a janela do quarto. Nesse momento, a família estava na sala de espera”. Ainda segundo o documento, a equipe de plantão acionou a Guarda Municipal logo que o problema foi detectado para ajudar a localizar o homem.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*