Famílias de São José dos Pinhais podem ser despejadas nesta terça-feira

Cinco famílias de São José dos Pinhais, na região metropolitana, podem ser despejadas nesta terça-feira (09). A situação é devido ao não pagamento de parcelas da compra dos terrenos. Sem a quitação dos vencimentos as imobiliárias entraram na justiça para reaver os lotes. Os moradores alegam que os contratos firmados com doze empresas, entre imobiliárias e incorporadoras, contaram com juros abusivos, o que impossibilitou o pagamento. Sidiney Andrade comprou o terreno na década de 90, por pouco mais de R$ 20 mil, mas com o aumento dos valores não conseguiu pagar as parcelas e atualmente a dívida passa de R$ 250 mil. Pela manhã ele falou que o oficial de justiça ainda não tinha aparecido na casa dele, mas que a movimentação era grande e que a solução neste momento é se mudar para a casa do filho.

A líder comunitária Claudete Menezes conta que as primeiras parcelas destes terrenos custavam aproximadamente 150 reais e depois os valores dobraram.

As cinco famílias com ordem de despejo para esta terça-feira (09) fazem parte de um grupo de aproximadamente 400 famílias que estão na mesma situação em 26 bairros de São José dos Pinhais. Dezenas delas permanecem acampadas há 13 dias em frente ao fórum da cidade na esperança de que haja um acordo com mas imobiliárias ou que a justiça faça a intermediação de uma negociação. Parte das famílias buscou o Ministério Público, outra parte buscou advogados particulares e com isso as ações foram julgadas em datas e de formas diferentes. Alguns contratos foram aliviados por meio de acordo ou por ação judicial. Os que perderam as ações na justiça estão sendo despejados. O Ministério Público foi procurado pela nossa reportagem, mas não atendeu às ligações. Também tentamos contato com o Tribunal de Justiça, mas este só funciona no período da tarde.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*