Fim de semana foi de filas nos postos de combustíveis abertos em Curitiba

(Foto: Ricardo Pereira/BandNews Curitiba)

Quem precisou abastecer o carro no fim de semana enfrentou filas muito longas e horas de espera. Pouquíssimos postos de combustíveis tinham estoque de gasolina e álcool e, por isso, a procura foi muito grande e concentrada nesses estabelecimentos.

Um dos postos que manteve o atendimento foi o que fica na esquina das ruas Nilo Peçanha com Henrique Itiberê da Cunha, no bairro Bom Retiro. Ontem (27), a fila passava de 1 km, somando os dois sentidos em que havia concentração de veículos para abastecer. O chef de cozinha Rafael Nogueira foi ouvido pela reportagem quando estava na fila para encher o tanque. Ele afirma que procurou o posto nesse domingo, pois acredita que a escassez de combustível vai perdurar pelos próximos dias.

Rafael conversou com Iara Maggioni

O taxista Washington Arcoleze  trabalha há 30 anos com transporte de passageiros. Ele abasteceu no sábado e também no domingo para garantir o trabalho de todos os dias. O taxista acredita que a manifestação dos caminhoneiros pode trazer bons resultados para toda população brasileira.

Mayara Soares, de 25 anos, estava na fila para abastecer junto com o tio e a mãe. Ela disse que evitou parar nos postos durante a semana por causa da grande movimentação, mas que ontem (27) não teve como escapar.

A funcionária pública Adalgisa Sabino se diz contra a greve. Para ela, a paralisação passou dos limites, já que incomoda muito a população e traz prejuízos para o setor produtivo. Adalgisa diz que evitou abastecer durante a semana para não incentivar o aumento de preço, mas acabou tendo que enfrentar fila no domingo.

De acordo com informações do Sindicombustíveis (Sindicato que representa os empresários dos postos de Curitiba e Região Metropolitana), a capital paranaense segue com situação desabastecimento. Ao longo do fim de semana, foram poucos os caminhões-tanque que conseguiram furar os bloqueios de caminhoneiros.

A maioria dos veículos precisou contar com escolta da polícia, especialmente para abastecer viaturas oficiais do serviço público. O diesel segue disponível em Curitiba e região, assim como o fornecimento de GNV, que, em grande maioria, é feito por tubulação. Ainda segundo o Sindicombustíveis, em todo o estado a situação é a mesma, não havendo abastecimento regular.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*