Governo confirma repasse de 27 milhões para universidades estaduais; UEM e UEL permanecem em greve

uel_3A Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná confirmou na quinta (26) o repasse de quase 27 milhões de reais às universidades do estado. O valor é o necessário para manter em dia as despesas de custeio das instituições durante o primeiro trimestre do ano. O recurso vai ser liberado a partir da próxima segunda-feira (2). A Universidade Estadual de Londrina (UEL) recebeu o maior repasse, no valor de 7, 8 milhões de reais. Depois, vem a Universidade Estadual de Maringá (UEM), com 6 milhões. Também receberam a verba as Universidades Estaduais de Ponte Grossa (UEPG); do Centro-Oeste (Unioeste), do Norte do Paraná (UENP) e a Universidade Estadual do Paraná (Unespar). Os repasses foram feitos após uma reunião entre os reitores das universidades e o governo, realizada na última terça-feira, no Palácio Iguaçu. No encontro, o governador Beto Richa (PSDB) afirmou que vai fazer o pagamento do terço de férias dos funcionários e professores em uma única parcela até o dia 31 de março. Richa também assinou um decreto para criar um grupo de trabalho que possa debater o projeto de Autonomia Universitária para as instituições. O grupo tem 120 dias para apresentar a conclusão dos estudos ao governo. A partir deles, o Executivo vai formular e encaminhar o projeto de lei para aprovação na Assembleia Legislativa do Paraná. Mesmo com os avanços, os servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) permanecem paralisados. A greve que começou no último dia 11 não tem data para terminar. O início das aulas estava previsto para última segunda-feira (23). Na UEL, os professores estão em greve desde o dia 12. Os servidores pararam as atividades um dia antes. Ainda não há previsão de volta ao trabalho.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*