Governo do Paraná cria hoje um Comitê Estadual para Refugiados e Migrantes

O grupo vai trabalhar políticas públicas específicas para pessoas que vem de outros países. Atualmente o Paraná tem uma população de 500 haitianos, que fugiram do país de origem por causa dos desastres naturais e outras 10 pessoas refugiadas de conflitos no Paquistão, Colômbia, Nigéria e outros países africanos. Além disso, há argentinos, bolivianos e paraguaios, mas o estado não tem dados que quantas pessoas destes países moram aqui no Paraná. Entre as ações do Comitê Estadual de Refugiados e Migrantes que estão programadas para este ano está a criação de turmas para ensinar português para os estrangeiros como explica o coordenador de Direitos à Cidadania da Secretaria de Justiça do Paraná, Antônio Gediel.

Além disso, o coordenador defende que é preciso mudar a lei que trata de migrações no país.

Além da Secretaria de Justiça, participam do Comitê as secretariasda Família; da Educação; da Saúde; do Trabalho e Emprego; do Turismo; de Relações com a Comunidade; e duas ONGS voltadas a atividades de assistência e proteção a refugiados e migrantes.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*