Hospital de Clínicas reabre 106 leitos de emergência e urgência

Foto: divulgação Hospital de Clínicas – arquivo

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, visitou na manhã desta segunda-feira (29) Complexo do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Ele veio acompanhar a reabertura de 106 leitos de urgência e emergência do hospital, após a contratação de 532 funcionários concursados pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). O evento marcou também o lançamento do programa Gestão de Altas, que formaliza a parceria entre o HC e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Curitiba. Segundo a secretária municipal de Saúde, Márcia Huçulak, equipes das Unidades Básicas de Saúde vão acompanhar os pacientes depois da alta hospitalar para evitar reinternações.

A iniciativa foi inspirada em ideias parecidas no Canadá, Portugal e Espanha. O projeto-piloto iniciou em agosto de 2017. Em cinco meses, 478 pacientes foram encaminhados às unidades básicas de saúde e apenas 8 precisaram de reinternações. O programa é direcionado especialmente para pessoas com doenças crônicas, que demandam continuidade de tratamento ou cuidados paliativos em domicílio. O Secretário Estadual de Saúde, Michele Caputo Neto, avaliou a iniciativa como uma forma de ampliar o atendimento.

O Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná é vinculado ao Ministério da Educação (MEC), com gestão municipal e estadual. O atendimento é todo feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O ministro da Saúde, Ricardo Barros, avalia que o projeto dá à prefeitura maior envolvimento com os pacientes.

O ministro falou também sobre a recente afirmação do governador Beto Richa, do PSDB, sobre as eleições 2018. O tucano disse que não deve se afastar do cargo para concorrer ao senado neste ano. Havia uma expectativa de que Beto pedisse licença para que a pré-candidata Cida Borguetti – que é vice-governadora e esposa do ministro – assumisse o governo e se candidatasse à reeleição no fim do ano, pelo Partido Progressista.

Semanas atrás, no evento de abertura do restaurante do viaduto Capanema, Beto afirmou que vai permanecer no cargo até o fim do ano e que não deve ser candidato ao Senado. Ele tem até abril para pedir a licença, caso resolva se candidatar.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*