Inquérito do caso James Bar ainda não foi finalizado

Ainda não há prazo para ser finalizado o inquérito do caso do jovem de 18 anos que teria sido agredido por um funcionário do James Bar, no Bairro Batel. Guilherme Koerich teve a perna esquerda amputada e ficou internado por dez dias. Ele alega que foi espancado porque não tinha todo o dinheiro para pagar a conta do estabelecimento. O caso aconteceu na madrugada do dia 6 de maio e é investigado pelo 3º Distrito Policial. De acordo com o delegado, Rogério Martin de Castro, a polícia espera um laudo do Instituto Médico Legal, que ainda não está pronto, para confirmar se as lesões teriam sido causadas por uma queda acidental ou se foi uma agressão.

Cerca de vinte pessoas prestaram depoimento, entrepoliciais do Corpo de Bombeiros, testemunhas e também a própria vítima. O delegado conta que as duas versões foram apresentadas.

A família de Guilherme diz que ele foi agredido por funcionários, enquanto o advogado do James Bar defende que o jovem caiu sozinho, enquanto corria dos seguranças.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*