Jovem supostamente agredido em bar presta depoimento à polícia

O jovem que teve a perna amputada depois de confusão no James Bar prestou depoimento à polícia pela primeira vez e confirmou a versão de que foi agredido. O estudante Guilherme Koerich falou à polícia ontem à noite. Ele respondeu às perguntas do delegado Rogério Martin de Castro e voltou a dizer que na noite do dia cinco de maio tinha apenas 40 reais para pagar uma conta no bar de 60 reais. Ele tentou entregar a comanda ao segurança mesmo sem fazer o pagamento e depois tentou fugir. O segurança correu atrás do cliente e, segundo Guilherme Koerich, teria dado um chute na perna do estudante e depois uma chave de braço. Depois, o jovem relatou que teve alucinações. O segurança será indicado por lesão corporal grave. O advogado do James Bar, Edward Carvalho, acompanhou o depoimento e voltou a dizer que não houve agressão e sim, um acidente.

Vinte e uma pessoas foram ouvidas até agora. Algumas testemunhas confirmaram a versão de Guilherme Koerich e outras disseram que o segurança do bar caiu acidentalmente em cima da perna do estudante. Socorristas do Siate e policiais militares que atenderam à ocorrência ainda devem prestar depoimento. Além disso, o laudo médico com os ferimentos do garoto e o estado de saúde dele ainda não foram entregues à polícia. As imagens da câmera de segurança do bar não são nítidas e não há como ver o que realmente ocorreu. O advogado da família Koerich, Edson Rangel, enviou as gravações para São Paulo, para tentar torná-las mais nítidas. O resultado ainda não saiu. A reportagem procurou o advogado, mas não conseguiu encontrá-lo. O delegado responsável pelo caso ainda não chegou à delegacia.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*