Juiz Sérgio Moro começa a ouvir testemunhas de ação que envolve o sítio de Atibaia

O juiz Sérgio Moro começa a ouvir a partir da próxima segunda–feira (05) as primeiras testemunhas da ação penal da Lava Jato que acusa o ex-presidente Lula de receber vantagens indevidas da OAS e da Odebrecht através de benfeitorias em um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo. Conforme a denúncia, as melhorias no imóvel totalizaram um milhão de reais. As audiências da acusação seguem até o dia 23 de fevereiro.

Entre as testemunhas chamadas pelo Ministério Público Federal estão o casal de marqueteiros João Santana e Monica Moura, os ex-dirigentes da Petrobras Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró e Pedro Barusco e o doleiro Alberto Youssef. Depois das audiências da acusação, serão ouvidas as testemunhas de defesa. De acordo com a justiça federal, os advogados de Lula indicaram 59 pessoas para testemunharem em favor do ex-presidente.

Em despacho, Moro questionou a defesa do petista sobre a necessidade de ouvir todas elas, já que algumas testemunharam também em outros processos. Além do ex-presidente também são réus no processo outras doze pessoas. O interrogatório dos acusados ainda não foi agendado pelo juiz Sérgio Moro.

Segundo o Ministério Público Federal, os recursos para a reforma no sítio de Atibaia vieram de seis contratos firmados entre as empreiteiras OAS e Odebrecht e a Petrobras. A defesa de Lula nega todas as acusações e diz que “não existe qualquer elemento mínimo que permita cogitar que Lula praticou qualquer dos crimes indicados pelo MPF”.

Os advogados também alegam que a força-tarefa da Lava Jato não indicou qualquer ato de ofício de Lula, enquanto presidente de República, que pudesse ter relação com os contratos e as supostas vantagens recebidas por ele. A ação penal sobre o sítio de Atibaia é o terceiro processo contra Lula nas mãos do juiz Sérgio Moro.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*