Juiz Sergio Moro ouve testemunhas de acusação de ação contra Lula

Foto: Divulgação

A semana começa na Operação Lava Jato com o juiz Sérgio Moro ouvindo testemunhas da ação em que o Ministério Público Federal acusa o ex-presidente Lula de ter sido beneficiado pela Odebrecht que, em troca de contratos com a Petrobrás, teria custeado um terreno para a construção da nova sede do Instituto Lula e um apartamento em São Bernardo do Campo, São Paulo. O juiz ouve o ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo – arrolado como testemunha de defesa de Antonio Palocci, que também é réu neste processo; e o ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro – arrolado como testemunha de defesa de Lula.

No total, 10 pessoas serão ouvidas. Além dos depoimentos, a semana na Lava Jato começa movimentada por causa da repercussão decisão do Tribunal Superior Eleitoral que absolveu a chapa da ex-presidente Dilma Rousseff e do atual presidente Michel Temer. Ao participar de um evento, o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, disse que a decisão enfraquece o judiciário.

No processo que tem audiências nessa segunda, o ex-presidente Lula e mais sete pessoas são rés. De acordo com a denúncia do MPF, o terreno que seria destinado a construção da sede do instituto teria custado R$ 12,4 milhões (doze milhões e quatrocentos mil reais). Já o apartamento vizinho ao local onde o ex-presidente mora, em São Bernardo do Campo, teria custado cerca de R$ 500 mil. Neste contexto, a propina distribuída pela Odebrecht chega a R$ 73 milhões. O dinheiro ilícito beneficiou partidos e políticos – principalmente do PMDB, PP e PT.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*