Juiz Sérgio Moro volta a ouvir nesta quarta-feira as testemunhas de acusação no processo do ex-presidente Lula

(Foto: Divulgação/Instituto Lula)

(Foto: Divulgação/Instituto Lula)

O juiz Sérgio Moro volta a ouvir nesta quarta-feira (24) as testemunhas de acusação do processo em que o ex-presidente Lula é acusado pelo Ministério Público Federal de receber vantagens indevidas da empreiteira Odebrecht. Na ação penal outros oito réus também são acusados, entre eles o ex-ministro Antônio Palocci. A partir das 14h, na sede da Justiça Federal em Curitiba, depõem o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa e o ex-gerente da estatal, Pedro Barusco. Ao todo, dez testemunhas de acusação serão ouvidas até sexta-feira (26).

No processo em questão, Lula é acusado de gerenciar uma sofisticada estrutura ilícita para captação de apoio parlamentar, assentada na distribuição de cargos públicos. É investigada a compra de um terreno, pela Odebrecht, que seria destinado à construção de uma nova sede para o Instituto Lula. O terreno custou R$ 12,4 milhões. Também é investigada a compra de um apartamento vizinho ao local onde o ex-presidente mora, em São Bernardo do Campo (SP), por 504 mil reais. Neste contexto, a propina distribuída pela Odebrecht chega a R$ 73 milhões.

O dinheiro ilícito beneficiou partidos e políticos – principalmente do PMDB, PP e PT. Já as testemunhas de defesa neste processo começam a prestar depoimento a partir do dia 5 de junho. Esta fase do processo termina na metade de julho e não há prazo para que o juiz Sérgio Moro dê as sentenças. Até o momento, são 113 pessoas que devem depor em favor dos oito acusados. Só os advogados de Lula indicaram 87 testemunhas de defesa no processo.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*