Júri de empresário do show dos Raimundos que terminou com três mortes no Jockey em 2003 é marcado para o fim de maio

O júri popular do empresário responsável pela organização de um show de rock que terminou com a morte de três adolescentes há 14 anos, no Jockey Club, em Curitiba, foi marcado para o dia 30 de maio. Athayde de Oliveira Neto, que na época do incidente, em 2003, tinha 22 anos, responde por homicídio com dolo eventual, com motivação torpe. Para o Ministério Público do Paraná, o réu, hoje com 36 anos, vendeu mais ingressos do que a capacidade do espaço permitia.

O show aconteceu em maio daquele ano. Na ocasião, além dos três mortos, 40 pessoas ficaram feridas, sendo 12 em estado grave. O tumulto que terminou em tragédia aconteceu na fila para a entrada no evento, logo após o início da apresentação da banda Raimundos.

Segundo a denúncia do Ministério Público, houve atraso na abertura de portões e o show teria sido realizado sem alvará dos bombeiros e da prefeitura. A acusação aponta diversas falhas na segurança do evento. Uma das vítimas que morreu tinha 14 anos e outras duas tinham 15. Elas foram pisoteadas e prensadas contra um portão. O julgamento já foi adiado duas vezes.

O pai de Athayde Neto, Athayde Júnior, chegou a ser denunciado, mas os crimes de falsidade ideológica, lesão corporal e falsidade ideológica prescreveram. Houve diversos recursos da defesa para os tribunais superiores, o que atrasou o processo. O advogado de defesa de Athayde Neto afirma que depois de tanto tempo as informações sobre o caso estão mais claras.

A promotora da 2ª Vara Privativa do Tribunal do Júri em Curitiba, Ticiane Louise Santana Pereira, disse, por meio da assessoria do Ministério Público, que deve se pronunciar sobre o caso somente nos dias mais próximos da data do julgamento.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*