Justiça concede liminar que determina retorno parcial das educadoras de Araucária às atividades

(Foto: divulgação/ Sifar)

A greve das educadoras de Araucária, na Grande Curitiba, entra hoje (19) no terceiro dia sem previsão de fim mesmo após a Justiça determinar que pelo menos metade do efetivo retorne às atividades.

Uma liminar foi concedida ontem (18), mas a informação do Sindicato dos Servidores Públicos de Araucária é a de que a entidade ainda não foi notificada dessa decisão.

A principal reivindicação das trabalhadoras é a de equiparação da carreira delas com a de professores. Mas elas também querem ter direito ao benefício da hora-atividade e pedem que o calendário das unidades infantis seja igual ao das escolas municipais. Quem explica é Jocelena Carvalho, diretora da entidade.

Jocelena também afirma que há desvio de função das educadoras nos Centros Municipais de Educação Infantil de Araucária e que a categoria tenta negociar com a gestão desde o ano passado.

De lá para cá, várias reuniões entre representantes da Prefeitura e das servidoras foram realizadas, mas nenhum acordo foi firmado. O secretário Municipal de Governo, Genildo Carvalho, afirma que o impasse se dá porque não é possível transformar as educadoras em professoras sem concurso público.

Araucária conta, ao todo, com 591 educadoras e, até ontem, de acordo com o sindicato, ao menos 75% dos CMEIs eram afetados pela paralisação. Já a Prefeitura ainda realiza um levantamento da adesão nesta quinta, mas admite que o movimento atinge mais da metade das unidades.

O sindicato, por outro lado, afirma que um dos CMEIs que aderiram à paralisação no primeiro dia acabou voltando ao trabalho por pressão da comunidade.

A Prefeitura reconhece que houve casos de desvio de função entre as educadoras da cidade, mas que o problema já foi corrigido.

Em relação à liminar concedida pela Justiça, ela não encerra a discussão a respeito da legalidade ou não da greve; é apenas uma medida temporária já que o mérito da ação ainda não foi julgado. Caso a paralisação seja declarada ilegal pelo Judiciário, a Administração Municipal pretende descontar os dias parados dos salários das servidoras.

Araucária tem, hoje, pouco mais de cinco mil crianças matriculadas em 37 CMEIs. Do total de alunos, 1.740 são atendidos por educadoras.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*