Justiça decreta bloqueio de mais de R$ 106 milhões da conta de Cerveró; MPF pede quebra de sigilo do email do ex-diretor

Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

A Justiça Federal do Paraná decretou o bloqueio de até 106 milhões de reais da conta do ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró. No despacho, o Juiz Federal Sérgio Moro esclarece que o bloqueio tem objetivo de viabilizar futuro confisco ou garantir eventual indenização. Cerveró é acusado de receber propina de 40 milhões de dólares entre os anos de 2006 e 2007 para a contratação de navios sonda para a perfuração de águas profundas na África e no México. O bloqueio foi requerido pelo Ministério Público Federal a partir da delação premiada do executivo da Toyo Setal, Julio Camargo. O MPF também solicitou em uma mesma petição acesso aos e-mails do ex-diretor da Petrobras entre os anos de 2003 e 2014. De acordo com o documento, o MPF quer descobrir com quem o executivo mantinha contato e se há pistas de negócios suspeitos realizados pelo ex-diretor. A força-tarefa da lava jato pede ainda a quebra de sigilo da offshore Jolmey do Brasil a partir de 2008, ano em que a subsidiária foi instalada no país. O juiz Sérgio Moro ainda não apresentou resposta quando a este último pedido do MPF. O ex-diretor da estatal está preso desde janeiro deste ano e é réu em duas ações penais da operação lava Jato: uma por corrupção passiva, e outra aceita ontem pelo Juiz Sério Moro por lavagem de dinheiro. A defesa de Cerveró já tomou conhecimento da decisão sobre o bloqueio e informou que não teme a quebra de sigilo.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*