Justiça determina bloqueio de bens de Derosso

A justiça determinou o bloqueio de bens do ex-presidente da Câmara Municipal de Curitiba, João Cláudio Derosso. A decisão é referente ao pedido do Ministério Público que denunciou Derosso pela contratação de funcionários fantasmas no último dia 10. O bloqueio vale também para o ex-vereador Ehden Abib e para o servidor público João Leão de Matos. Além disso, o MP pede a devolução de R$ 2 milhões e 500 mil reais para os cofres públicos, valor que teria sido destinado para a contratação desses funcionários fantasmas. Essas pessoas estariam lotadas tanto na Câmara Municipal de Curitiba quanto na Assembleia Legislativa do estado. Ontem, o Ministério Público propôs outra ação civil contra Derosso pela prática de nepotismo. Enquanto era presidente, ele teria contratado a sogra e a cunhada para o legislativo municipal. Além disso, a vara de Fazenda Pública já analisa uma ação do próprio MP por improbidade administrativa pelo fato de Derosso ter contratado a empresa Oficina da Notícia, mesmo ela sendo de propriedade de uma servidora da casa, Cláudia Queiroz, que hoje é esposa de Derosso.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*