Justiça Federal solta o ex-banqueiro José Augusto Ferreira, investigado da Lava Jato

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A Justiça Federal do Paraná decidiu soltar nesta terça-feira (30) o ex-banqueiro José Augusto Ferreira dos Santos, um dos investigados da 41ª fase da operação Lava Jato. A decisão foi dada pela juíza Gabriela Hardt, que substitui o juiz Sérgio Moro enquanto ele participa de um Congresso em Portugal. Em despacho, a juíza disse que depois de colhidas as primeiras declarações, a medida não se faz mais necessária. No entanto, Gabriela Hardt impôs algumas obrigações ao investigado. Ferreira precisa comparecer a todos os atos do processo, não pode deixar a residência e nem mudar de endereço sem prévia autorização do juízo. Além disso, o ex-banqueiro está proibido de deixar o país e precisa entregar os passaportes em um prazo de três dias. Outro preso desta fase da operação, o ex-gerente da área internacional da Petrobrás, Pedro Augusto Côrtes Bastos, deve permanecer detido por tempo indeterminado, já que a prisão dele é preventiva. A 41ª fase da investigação, chamada de Poço Seco, apura o já conhecido esquema de pagamento de propina na venda de um campo de petróleo na África para a Petrobrás. Os procuradores do Ministério Público Federal também suspeitam do envolvimento da jornalista Claudia Cruz, esposa do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, no recebimento de recursos ilegais do contrato, firmado em 2011. A operação foi realizada um dia depois de Cláudia Cruz ser absolvida em um processo que tramitava na Justiça Federal em Curitiba, também em decorrência da Lava Jato. O Ministério Público Federal promete recorrer da decisão do juiz Sérgio Moro. Os dois presos e mais cinco pessoas são suspeitos de terem recebido aproximadamente US$ 5,5 milhões em propinas da empresa responsável pela venda do campo de petróleo na África para a Petrobrás. Pelo menos um terço do contrato estimado em 30 milhões de dólares teria sido destinado ao pagamento da propina. Os suspeitos de terem sido beneficiados com os valores mantinham contas bancárias tanto na Suíça quanto nos Estados Unidos.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*