Mais de mil toneladas de entulho foram recolhidas em casas e comércios da capital ao longo do ano passado

Foto: divulgação / Prefeitura de Curitiba

Equipes da prefeitura recolheram, ao longo de 2017, mais de mil toneladas de entulho em casas e comércios da capital. A iniciativa é uma parceria da secretaria da saúde e a do meio ambiente da cidade com o objetivo de limpar terrenos e recolher lixo e resíduos em geral. A ação foi batizada de Curitiba sem Mosquito, voltada ao combate dos criadouros do mosquito. A coordenadora do Programa Municipal de Controle do mosquito, Tatiane Faraco, afirma que a iniciativa vai ser retomada neste mês de janeiro.

Ao longo de 2017, os agentes da secretaria de saúde visitaram os nove distritos sanitários da capital. As áreas foram selecionadas por concentrarem um número significativo de possíveis focos de criadouros do mosquito. Os moradores e comerciantes foram orientados a depositar os resíduos em frente dos terrenos, na data prevista. O Departamento de Limpeza Pública da Secretaria do Meio Ambiente ficou responsável pela retirada dos materiais. Especialista em saúde pública, o chefe da Divisão de Vigilância sobre o Meio Ambiente da secretaria de saúde do Paraná, Celso Rubio, ressalta a importância de fazer o descarte correto do lixo.

Além do mosquito, também se proliferam em meio ao entulho os ratos e as baratas. Os ratos atuam na difusão da leptospirose, uma doença endêmica transmitida por uma bactéria encontrada na água contaminada ou na urina dos roedores. As baratas podem ter contato com os resíduos orgânicos. O agravante é que elas acessam as casas com maior facilidade.

Todo local que possa prover alimento, água e abrigo é ideal para que os animais se multipliquem. Em 2017, Curitiba registrou 31 casos de dengue, três deles adquiridos na própria capital.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*